Secretário vincula escassez de água a crescimento da população e localização de SP

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2014 19h33
18.02.2003-EMPRESAS Assunto: Mauro Arce, secret‡rio estadual de energia e saneamento do Estado de S‹o Paulo. FOTO: CARLA ROMERO/VALOR Carla Romero/Valor/ Folhapress Secretário de saneamento e recursos hídricos vinculou seca a aumento da população e localização da cidade

O presidente da Companhia Energética de São Paulo (Cesp), Mauro Arce, foi confirmado nesta quarta-feira como secretário de saneamento e recursos hídricos do Governo de São Paulo. Ele assume o cargo em meio à crise do abastecimento de água, com o Sistema Cantareira com o nível de água mais baixo de toda sua história, 12,5%.

O novo secretário de saneamento e recursos hídricos afirmou que um dos motivos da atual seca de sistemas como o da Cantareira, pode ser o aumento da população ao redor desses grandes mananciais e de São Paulo.

“A população da região metropolitana cresceu, a grande Campinas também cresceu, mas também a população que vive muito próxima a esses mananciais também cresceu. Então, elas estão concorrendo diretamente para essa mesma quantidade de água”, contou.

Nesta quarta-feira, o governador Geraldo Alckmin afirmou que não está descartado um racionamento em São Paulo. De acordo com Arce, ainda existem possibilidades para evitar a atitude mais radical, como a economia de água por parte da população e o aumento do fornecimento de água por outros mananciais, mas, por causa da época do ano, a “seca” tem que ser acompanhada em tempo real.

“Evidentemente a estação chuvosa já passou, praticamente. Daqui pra frente, é a estação mais seca do ano. Às vezes você tem surpresas. (…) Agora, a gente não pode esperar simplesmente”, disse o secretário, se referindo à importância da economia por parte dos consumidores.

Arce ainda disse que São Paulo é uma metrópole “carente de água” devido à localização e, a cada ano, a população aumenta e a demanda de água é um concorrente que deve ser levado em conta inevitavelmente.

Confira acima a entrevista completa do novo secretário de saneamento e recursos hídricos do governo de São Paulo, que ainda falou sobre outras alternativas.