Senador do Uruguai cobra chanceler após proposta de Renan sobre Mercosul

  • Por Agencia EFE
  • 13/08/2015 20h58

Montevidéu, 13 ago (EFE).- O senador Jorge Larrañaga, do Partido Nacional (PN), de oposição no Uruguai, pediu nesta quinta-feira uma reunião urgente com o ministro das Relações Exteriores do país, Rodolfo Nin Novoa, para conhecer a postura do governo depois de o presidente do Senado do Brasil, Renan Calheiros, ter proposto acabar com a união alfandegária no Mercosul.

Em comunicado, Larrañaga afirma querer saber “se já existiram comunicações oficiais entre ambos os governos sobre o assunto”, assim como a “eventual posição que o governo uruguaio teria caso o Brasil avance nesse sentido”.

“Queremos saber se o governo uruguaio tem estimativas do impacto que isso teria sobre nosso comércio exterior e emprego, e se há estratégias de contingenciamento”, acrescenta a nota.

Renan propôs “acabar com a união alfandegária” no Mercosul para facilitar que os países-membros (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela) negociem acordos comerciais individualmente.

O Mercosul estabeleceu a meta de se transformar em uma união alfandegária plena desde a fundação, mas 24 anos depois não conseguiu devido às barreiras tarifárias que persistem entre os próprios membros.

O presidente do Senado apresentou hoje a proposta, entre outras sugestões, ao ministro da Fazenda, Joaquim Levy. EFE