SIP se declara consternada com assassinato de jornalista Pedro Palma

  • Por Agencia EFE
  • 14/02/2014 19h42

Miami, 14 fev (EFE).- A Sociedade Interamericana de Imprensa (SIP) expressou nesta sexta-feira a profunda repulsa pelo assassinato por pistoleiros do jornalista brasileiro Pedro Palma, proprietário do jornal “Panorama Regional”, em Miguel Pereira, interior do Rio de Janeiro.

Pedro Palma, de 47 anos, foi assassinado a tiros na noite de quinta-feira em frente a sua casa enquanto esperava que sua filha abrisse a porta, explicou a SIP.

Ele foi alvejado por dois homens em uma moto, divulgou o próprio jornal. O “Panorama Regional”, fundado em 1994, vinha denunciando irregularidades na Prefeitura de Miguel Pereira, a pouco mais de 100 quilômetros da capital.

Esta semana a SIP lamentou a morte de outro jornalista brasileiro, o cinegrafista da “Band” Santiago Andrade, que morreu dias depois de ser atingido na cabeça por um rojão enquanto cobria uma manifestação no Rio de Janeiro.

Segundo números da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (ABRAJI), ano passado 114 jornalistas ficaram feridos na coberturas de protestos, e já três neste ano .

O presidente da Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação, Claudio Paolillo, insistiu na urgência de o governo do estado e o federal adotem medidas para garantir a proteção dos jornalistas.

Paolillo, diretor do semanário uruguaio “Busca”, lembrou que a SIP tem promovido a aprovação de projetos de lei e emendas à Constituição para que os crimes contra jornalistas sejam transferidos à jurisdição federal, para dar maior eficiência e transparência na administração da justiça. EFE