Sobe para 50 mil o número de desabrigados por inundações em Assunção

  • Por Agencia EFE
  • 11/06/2014 16h52

Assunção, 11 jun (EFE).- O número de vítimas desabrigadas pelas inundações em Assunção subiu nesta quarta-feira para 50 mil, em sua maioria moradores do cinturão de pobreza à beira do rio Paraguai, cuja cheia alagou milhares de casas em condições precárias, informou à Agência Efe a Secretária de Emergência Nacional (SEN).

A capital paraguaia é o ponto do país mais castigado pelas inundações, que no total no país afetam mais de 159 mil pessoas, segundo os dados de terça-feira da SEN.

O departamento acrescentou que gastou 1,56 bilhão de guaranis (cerca de R$ 813 mil) para ajudar os milhares de afetados de Assunção, a quem forneceu alimentos, colchões, cobertores, toldos de plástico e chapas de zinco para protegerem suas casas.

Pouco mais de mil pessoas estão há vários dias refugiadas em diversas instalações do exército, enquanto muitos desabrigados improvisaram barracos de madeira em áreas seguras para substituir suas casas.

A maioria dos desabrigados da capital vive em dois bairros conhecidos como “banhados”, por ficarem na bacia do Paraguai, que nesta época é propensa às inundações pela alta cíclica do nível de água.

No departamento de Ñeembucú, onde confluem os rios Paraná e Paraguai, há cerca de 2 mil famílias afetadas pela cheia, que se somam às 43 mil pessoas que ainda não se recuperaram das intensas chuvas que caíram entre março e abril.

Os técnicos da represa de Yacyretá, compartilhada por Paraguai e Argentina, informaram hoje que o nível do Paraná irá subir de quatro metros alcançados na terça-feira até cerca de cinco metros.

Também indicaram que estão previstas precipitações moderadas no departamento de Misiones, onde está a represa, e onde há centenas de famílias desabrigadas. EFE

jm/tr-rsd