Sobe para 84 número de mortos pelo ebola na Guiné

  • Por Agencia EFE
  • 03/04/2014 12h44

Nairóbi, 3 abr (EFE).- Chegaram a 84 as mortes pelo vírus ebola na Guiné, informou nesta quinta-feira a ONG Médicos Sem Fronteiras (MSF), que trabalha no país para combater a epidemia.

“Até o momento, as autoridades de saúde da Guiné informaram 134 casos suspeitos e 84 mortes”, disse a organização.

“Nossos esforços estão centrados em conter a epidemia, o que é feito mediante a detecção dos doentes e seu isolamento do resto da população”, explicou Anja Wolz, coordenadora de emergência da MSF em Conacri.

Segundo Wolz, “embora não haja cura para a doença, a alta mortalidade pode ser reduzida abordando seus sintomas”.

A MSF informou que o surto que castiga a Guiné é d o vírus com a cepa do Zaire, que tem um índice de mortalidade que chega aos 90%.

No entanto, os pacientes que recebem assistência médica têm “entre 10% e 15% a mais de chances de sobreviver”, disse Michel Van Herp, epidemiologista da organização que está na Guiné.

O surto já se estendeu à Libéria, onde exames clínicos confirmaram dois casos.

Em Serra Leoa, que como a Libéria faz fronteira com a Guiné, foram identificados dois casos suspeitos e em ambos os doentes morreram.

O vírus do ebola, que foi identificado pela primeira vez em 1976 no Zaire (atual República Democrática do Congo) e no Sudão, é transmitido por contato direto com o sangue ou os fluidos e tecidos corporais de pessoas e animais infectados.

O ebola, que causou várias mortes na África nos últimos anos, é considerado uma ameaça para a saúde global e um possível agente de guerra biológica. EFE