Soldado norte-coreano deserta através da fronteira com a Coreia do Sul

  • Por Agencia EFE
  • 15/06/2015 02h24

Seul, 15 jun (EFE).- Um soldado norte-coreano desertou nesta segunda-feira para a Coreia do Sul através da fronteira que separa os dois países, informou o Ministério da Defesa sul-coreano, no que representa o primeiro caso deste tipo em quase três anos.

“Esta manhã, um cidadão da Coreia do Norte, que aparentemente é um soldado do Exército, atravessou a fronteira para a Coreia do Sul na zona centro-leste da demarcação militar em Hwacheon, na província de Gangwon”, relatou à Agência Efe um porta-voz do Ministério da Defesa.

O soldado, que atravessou a fronteira a pé, “expressou sua vontade de desertar e, neste momento, o mantemos sob custódia”, disse o porta-voz, após confirmar que a deserção não provocou conflito entre os efetivos militares das duas Coreias, que guardam a faixa conhecida como Zona Desmilitarizada (DMZ).

Por enquanto, a única informação disponível é que se trata de um homem jovem, identificado como um soldado adolescente segundo as Forças Armadas da Coreia do Sul, e uma investigação foi iniciada para se conhecer mais detalhes e os motivos de sua deserção.

As deserções de soldados da Coreia do Norte através da DMZ não são comuns e o último caso aconteceu em outubro de 2012.

Diversas fontes reportaram nos últimos dias para meios da imprensa sul-coreana que o regime de Kim Jong-un tinha reforçado as medidas de controle para evitar que seus soldados mobilizados perto da fronteira pudessem desertar para o país vizinho.

Nos últimos anos, foram registrados entre mil e 3 mil casos anuais de norte-coreanos – alguns deles soldados – que buscam asilo na Coreia do Sul, mas a imensa maioria das deserções começam na fronteira da Coreia do Norte com a China. EFE