Suspeito do ataque ao Museu Judeu de Bruxelas é detido na França

  • Por Agencia EFE
  • 01/06/2014 05h54

Paris, 1 jun (EFE).- Um homem suspeito de ter causado a morte de quatro pessoas no ataque perpetrado no Museu Judeu de Bruxelas no dia 24 de maio foi detido na sexta-feira em Marselha (sul da França), informaram hoje meios de imprensa locais.

O detido, um francês de 29 anos original de Roubaix (norte), portava um fuzil kalashnikov e um revólver do mesmo tipo que o utilizado na capital belga e foi detido por assassinato e tentativa de assassinato, disseram fontes judiciais citadas pela imprensa local.

O suspeito foi detido na estação de ônibus Saint-Charles de Marselha e era fichado pela direção geral de Segurança Interior, que suspeitava que em 2013 se deslocou para a Síria a fim de participar da “jihad”.

O detido estava em um ônibus procedente de Amsterdam e entre seus pertences também havia munição, uma pequena câmera de tipo GoPro e um boné parecido com o que usava o autor do ataque, segundo captaram então as câmaras de segurança.

Sua detenção, iniciada na sexta-feira ao meio-dia, poderia prolongar-se até a quinta-feira, um total de 144 horas, em caso de os investigadores considerarem a hipótese de ameaça terrorista “iminente”.

Como consequência do ataque três pessoas morreram no mesmo dia e uma quarta, que ficou gravemente ferida, morreu no dia seguinte.

Os falecidos do sábado eram dois cidadãos israelenses e uma mulher francesa, enquanto a quarta vítima era belga, segundo declarou na semana passada a Promotoria de Bruxelas. EFE