Elon Musk diz que equipe jurídica do Twitter o acusa de violar confidencialidade

Em resposta a um internauta, o bilionário informou que o tamanho da amostra para verificação de contas falsas era de 100 perfis

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2022 18h29 - Atualizado em 16/05/2022 00h39
Brendan Smialowski/AFP - 09/03/2020 Elon Musk, fundador da SpaceX, fala durante o Satellite 2020 no Washington Convention Center em Washington, DC. Elon Musk informou na sexta-feira, 13, que daria uma pausa na compra do Twitter mas que ainda tem interesse em adquirir a plataforma

Após anunciar na sexta-feira, 13, que a compra do Twitter estava “temporariamente suspensa”, o bilionário Elon Musk disse no sábado, 15, que a equipe jurídica da rede social o acusou de violar um acordo de confidencialidade ao revelar que o tamanho da amostra para as verificações da plataforma sobre contas falsas era de 100 perfis. “O departamento jurídico do Twitter acabou de me ligar para reclamar que eu violei seu acordo de confidencialidade ao revelar que o tamanho da amostra de verificação de bots é de 100 perfis!”, tuitou Musk.

Quando anunciou que iria dar uma pausa na compra da plataforma, mas que continuava comprometido com a adesão da empresa, ele tinha informado que “aguardava dados sobre o tamanho das contas falsas”, e, em resposta a um internauta que pediu mais detalhes sobre o processo de filtragem de contas de bots”, ele respondeu que sua equipe testaria “uma amostra aleatória de 100 seguidores” do Twitter para identificar os bots e que “escolheu 100 como o número do tamanho da amostra, porque é isso que o Twitter usa para calcular”. Sua resposta a pergunta motivou a acusação da rede social. Musk tuitou na madrugada deste domingo que ainda não viu “qualquer” análise que mostre que a empresa de mídia social tem menos de 5% de contas falsas. Mais tarde, ele disse que “há alguma chance de ser mais de 90% dos usuários ativos diários”.