Telefônica acredita que seguirá crescendo no Brasil apesar da crise

  • Por Agencia EFE
  • 31/08/2015 13h01

Santander (Espanha), 31 ago (EFE).- O executivo-chefe da Telefónica, José María Álvarez-Pallete, acredita que a operadora espanhola seguirá crescendo no Brasil, uma de suas principais apostas, apesar da recessão que o país atravessa.

O executivo, que participou nesta segunda-feira da 29ª edição do Encontro de Telecomunicações organizado pela Universidade Internacional Menéndez Pelayo (UIMO), ressaltou que tanto a Vivo como a GVT ganharam fração de mercado apesar da queda do consumo.

No entanto, Álvarez-Pallete reconheceu que a empresa não é imune à crise e explicou que as margens estão sendo afetadas pela inadimplência, embora não cessarão os planos de integração e de desdobramento de redes que tem para o Brasil porque “a médio prazo somos otimistas”.

Segundo o diretor, na primeira parte do ano a desvalorização do real com relação ao dólar no entanto “drenou” o crescimento da Telefônica no Brasil, país no qual fechou recentemente a compra da operadora de telefonia fixa GVT para somá-la à oferta móvel da Vivo.

“Apesar de não acreditarmos que a economia vá ajudar a curto prazo, achamos que a tendência da operadora (…) vai ser boa”, afirmou Álvarez-Pallete, que destacou que o que mais custou foi estabilizar o negócio fixo em São Paulo.

O executivo-chefe da Telefónica garantiu que a companhia “não sente a necessidade de ser maior” -em referência a entrar em novos países-, o que não significa que não esteja interessada em crescer naqueles mercados nos quais já está, como por exemplo México.

Nesse país, a empresa se manterá atenta a qualquer movimento que ocorra em termos de consolidaçãos. EFE