Temer no G-20: com as medidas tomadas, já há sinais de retomada da economia

  • Por Estadão Conteúdo
  • 04/09/2016 10h22
KOCH01. Hangzhou (China), 04/09/2016.- Chinese President Xi Jinping (C) takes a group photo with Indian Prime Minister Narendra Modi (2-L), Brazil's President Michel Temer (L), Russian President Vladimir Putin (2-R) and South Africa's President Jacob Zuma (R) at the West Lake State Guest House in Hangzhou, China, 04 September 2016. The G20 Summit will be held in Hangzhou on 04 to 05 September. EFE/EPA/SERGEI GUNEEV / SPUTNIK / KREMLIN POOL EFE/EPA/SERGEI GUNEEV Líderes do Brasil (Michel Temer)

A economia do Brasil já começa a reagir. Essa foi a mensagem central do discurso inicial do presidente Michel Temer na reunião informal dos cinco grandes emergentes do grupo conhecido como BRICS – Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul. Aos demais chefes de Estado, Temer ressaltou as reformas propostas e mencionou até o Congresso Nacional ao afirmar que a Casa ajudará a executar as mudanças estruturais que permitirão ao País a voltar a crescer.

“No Brasil, o caminho do crescimento está sendo reconstruído. Estamos promovendo um ajuste fiscal amplo e sustentável. Juntamente com o Congresso Nacional, instituiremos um teto constitucional para o crescimento das despesas governamentais”, disse Temer. “O crescimento real zero do gasto público levará à redução da dívida do Estado brasileiro”.

Aos demais líderes dos grandes emergentes, Temer afirmou que “uma ambiciosa agenda de reformas estruturais também está em curso para elevar a produtividade da economia e gerar ambiente de negócios mais favorável”. “Estimularemos os investimentos em infraestrutura, sobretudo por meio de concessões de estradas, portos, aeroportos, ferrovias e sistemas de geração e transmissão de energia”, destacou o presidente brasileiro.

Atualmente, o Brasil é o País com pior desempenho econômico entre os cinco grandes emergentes. Em 2016, o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro será o pior no grupo. Diante dessa realidade, Temer disse aos demais líderes que a adoção das novas políticas econômicas já resulta em “sinais de retomada da economia” brasileira. “Estamos seguros de que, em breve, a nossa economia voltará a crescer, em benefício dos brasileiros e da economia global”, afirmou Temer.

Sobre os BRICS, Temer falou rapidamente que os países do grupo “são forças positivas” para estabilidade econômica global. “O Novo Banco de Desenvolvimento e o arranjo contingente de reservas ilustram como podemos trabalhar em conjunto de modo inovador e eficiente. Um trabalho coletivo em prol de sociedades mais prósperas e mais justas”, disse aos demais líderes. (Fernando Nakagawa e Claudia Trevisan, Enviados especiais)