Temer prevê fim de déficit fiscal em até 3 anos e garante sequência da Lava Jato

  • Por Estadão Conteúdo
  • 20/09/2016 09h25
BRA100. BRASILIA (BRASIL), 14/09/2016.- El presidente brasileño, Michel Temer, habla hoy, miércoles 14 de septiembre de 2016, durante un acto, celebrado en el Palacio presidencial de Planalto en Brasilia (Brasil). Temer anunció hoy que su Gobierno destinará 1.000 millones de reales (unos 303 millones de dólares) adicionales al área de salud y reiteró que no tiene previsto reducir la inversión en asuntos sociales. EFE/FERNANDO BIZERRA JRMichel Temer EFE

O presidente Michel Temer disse, em entrevista exclusiva à emissora de TV Bloomberg, na última segunda-feira, 19, que o Brasil ainda terá um “pequeno déficit fiscal” em 2018. “Vai demorar dois ou três anos para eliminarmos (o déficit)”, afirmou o presidente.

Segundo Temer, a economia brasileira ainda continua em situação muito difícil. “Mesmo que melhoremos apenas um pouco no próximo ano, será um grande passo à frente,” notou.

Sobre a Operação Lava Jato, Temer afirmou que não haverá obstruções aos trabalhos de investigação, mesmo que eles passem a focar mais seu partido, o PMDB. “A Lava Jato vai continuar até que seja concluída e que todos os crimes sejam revelados”, disse.

Temer também afirmou que, por não ter ambições políticas em 2018, ficará à vontade para lidar com questões “aparentemente impopulares”, como o controle dos gastos e a reforma da Previdência. “Agora que eu assumi a Presidência definitivamente, vou adotar uma postura mais dura na política e economia”, disse.

Temer concedeu a entrevista na sede da Bloomberg em Nova York. Na manhã desta terça-feira, dia 20, o presidente do Brasil fará o discurso de abertura da 71ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).