Trem até o aeroporto de Guarulhos deve funcionar até o fim de 2015, diz secretário

  • Por Jovem Pan
  • 03/07/2014 16h56

A nova linha da CPTM que vai da estação Engenheiro Goulart, na zona leste, até o aeroporto de Cumbica deverá estar operando até o fim do ano que vem. A previsão do secretário dos transportes metropolitanos, Jurandir Fernandes, é de que o deslocamento, da Paulista até Guarulhos, demore 37 minutos.

“A região hoteleira de São Paulo fica ali na região da Paulista, por exemplo. Então, quem estiver na Paulista, pega a linha amarela, já está na Luz. Da Luz, ele vem diretamente até o Brás. Do Brás, ele vai ter a conexão direta até aqui. (…) Nós estamos fazendo uma linha nova de Engenheiro Goulart até o aeroporto, mas de Engenheiro Goulart até o Brás, a linha já está pronta. O que nós temos que fazer ali agora é sinalização e arranjar uma plataforma específica para o trem do aeroporto partindo do Brás”, contou o secretário.

“Nós estaremos fazendo da avenida Paulista até o aeroporto em 37 minutos de trem. Hoje, um carro da Paulista até aqui, trânsito normal, não vamos considerar congestionamento e não vamos considerar de madrugada, (…) 40 a 50 minutos. Nos horários de pico, o tempo de percurso de um carro da Paulista pra cá, eu não tenho uma precisão, ele varia de 90 minutos, às vezes 1h30 ou às vezes a situação é melhor e ele pode fazer de 60 a 70 minutos. No caso do trem, a confiabilidade dos 37 minutos é muito importante pro cidadão, ele consegue se programar com mais precisão”, completou.

Jurandir Fernandes ainda falou que haverá espaço para malas nos trens, próximo ao local onde ficam os cadeirantes hoje. A ideia é deixar os dois espaços de cada lado da porta tanto para cadeirante quanto para maleiro. Para pequenas malas, a ideia é ter um layout interno com um pequeno bagageiro.

De acordo com o secretário, o trem não vai entrar dentro do aeroporto, mas vai encostar próximo ao local e os passageiros poderão chegar aos terminais por meio de outros sistemas que vão distribuir as pessoas nos seus terminais.

“O mundo inteiro faz o que nós vamos fazer. Nós encostamos no aeroporto, depois um sistema chamado people move, que são pequenos equipamentos, pode ser um pequeno VLT, pode ser um pequeno monotrilho, pode ser um sistema autoguiado como em Londres, enfim, tem diversas alternativas. Esse sistema vai pegar os nossos passageiros ali, ao lado do terminal 4, (…) e vai distrubuí-los para todos os terminais, 4, 3, 2 e o 1″, explicou Jurandir Fernandes.

Confira no áudio acima a entrevista completa do secretário dos transportes metropolitanos.