Três funcionários de missão da ONU são sequestrados no nordeste da RDC

  • Por Agencia EFE
  • 24/04/2015 11h32

Kinshasa, 24 abr (EFE).- Três funcionários da Missão das Nações Unidas para a Estabilização da República Democrática do Congo (Monusco) foram sequestrados por um grupo de homens armados sem identificação a 30 quilômetros de Goma, no nordeste do país, explicaram nesta sexta-feira à Agência Efe fontes da missão.

“Estavam em uma missão oficial e desde ontem o entardecer não soubemos nada deles. Encontramos o veículo estacionado em um das margens da estrada, mas não há rastro deles”, confirmou Adele Lukoki, porta-voz da Monusco em Kinshasa.

Segundo as Nações Unidas, os três empregados, um zimbabuano e dois congoleses, foram sequestrados quando voltavam de um campo de minas situado a alguns quilômetros de Goma e os boinas azuis e as Forças Armadas congolesa (Fardc) já foram desdobradas para tentar localizá-los.

Trata-se da primeira vez que ocorre um sequestro de trabalhadores da Monusco desde que a missão das Nações Unidas autorizou o uso de forças de combate contra os diversos grupos rebeldes que ainda desestabilizam o nordeste da República Democrática do Congo (RDC).

Por outra parte, o governador da província de Kivu Norte, Julien Paluku, denunciou ontem que um grupo de soldados ruandeses entrou em solo congolês através do parque de Virunga algo que, segundo o político local, é uma amostra do aumento da insegurança na zona. EFE