“Tribunal não deixará de fazer suas auditorias”, afirma Aroldo Cedraz sobre sua gestão frente ao TCU

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2014 15h13

O presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz falou nesta terça-feira (16) a respeito da auditoria dos recursos públicos e as ações a serem realizadas diantes dos escândalos da Petrobras, assim que ele iniciar seu mandato em janeiro do ano que vem.

De acordo com Cedraz, a rotina do TCU é bastante intensa, mas continuará “fazendo o possível para merecer cada vez mais a confiança do povo brasileiro e ampliar a sua credibilidade externa e internamente”.

Entre as responsabilidades ligadas aos recursos públicos, o presidente do TCU comentou sobre a refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. Na ocasião houve uma decisão do TCU que deu como irregular, alguns termos dentro do contrato, no entanto, o ex-presidente Lula “passou por cima” disso na época. Para que as decisões do TCU sejam cumpridas e não deixadas de lado, Cedraz afirma que eles [TCU] fizeram o trabalho deles naquela época e assume responsabilidade de permanecerem atentos. “Vamos continuar vigilantes e o Tribunal não deixará de fazer suas auditorias. No futuro, para que esses problemas não ocorram, nós queremos avançar em relação aos métodos de auditoria, pois muitas vezes nossos prejuízos ocorrem e eles não podem ser reparados”, comenta.

Já quando decisões do TCU impugnarem algo, Cedraz afirma que o procedimento a ser tomado é dar sempre direito à ampla defesa. “Nós encaminhamos paralelamente esses resultados não só ao plenário de nossa corte, mas em seguida mandamos os resultados para as autoridades do poder Executivo e do Legislativo, e é o Legislativo que pode dizer se uma obra pode ou nao ser paralisada”.

Sobre essas decisões de obras que devem ser ou não paralisadas, ele completa que “são decisões que orientam não somente a LDO, mas também o orçamento de cada ano”.