Tribunal vaticano condena tesoureiro de Santa Maria Maior por desvio

  • Por Agencia EFE
  • 16/11/2014 16h39

Cidade do Vaticano, 16 nov (EFE).- O Tribunal da Cidade do Vaticano condenou em primeira instância, a três anos e dois meses de reclusão e ao pagamento de 210 mil euros, o sacerdote polonês Bronislaw Morawiec, tesoureiro da basílica romana de Santa Maria Maior, por delito de desvio, informaram neste domingo fontes vaticanas.

O porta-voz vaticano, Federico Lombardi, explicou que a condenação de Morawiec, que também inclui a inabilitação durante a duração da pena, não pode ser executada já que o acusado recorreu em apelação.

Lombardi explicou que o promotor pediu quatro anos de pena, mas ela foi reduzida a três anos e dois meses por algumas atenuantes, como a falta de precedentes.

No julgamento, que começou em 5 de julho, acusava o sacerdote polonês de desvio e apropriação indevido de bens, aos quais teve acesso com a compra de um imóvel em nome do patrimônio da basílica.

As investigações começaram em 2003 quando a Prefeitura de Assuntos Econômicos da Santa Sé encontrou irregularidades nas contas da basílica Santa Maria Maior.

A Prefeitura Vaticana de Assuntos Econômicos é o organismo encarregado de supervisionar as finanças e o patrimônio da Santa Sé, entre outras funções. EFE