Triplo ataque suicida do EI mata 13 soldados no Iêmen

  • Por EFE
  • 12/05/2016 10h17
Iemenita olha para destruição causada por bombardeio saudita em Saná; ao menos 30 morreram

Pelo menos 13 soldados morreram, nesta quinta-feira (12), e dezenas ficaram feridos em um triplo ataque suicida com carros-bomba em um quartel da cidade de Al Mukala, no sudeste do Iêmen, que foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI).

Fontes militares explicaram à Agência Efe que um dos veículos explodiu na entrada do acampamento da Defesa Litorânea e os outros dois dentro do próprio quartel.

Esta base militar, a principal da marinha da província de Hadramut, fica perto do porto de Al Dava, dedicado à exportação de petróleo.

Também foram registrados confrontos nos arredores do quartel, para onde se deslocaram ambulâncias e bombeiros, segundo moradores de Al Mukala.

O EI assumiu a autoria do ataque através de sua agência “Amaq”, que informou sobre “uma operação de martírio (suicida) contra milícias de (o presidente Abdo Rabu Mansur) Hadi”.

Al Mukala, capital da província de Hadramut, esteve, durante um ano, nas mãos dos jihadistas da Al Qaeda, até sua liberação, no final de abril, pelo exército iemenita mas, em seu interior, continuam ativas células deste grupo e do EI.

Hadramut, o principal reduto da Al Qaeda no sul do Iêmen, sofreu ontem outro atentado com carro-bomba, que teve como alvo o comandante da primeira zona militar do exército, Abdel-Rahman al Halili.

Ele ficou gravemente ferido e cinco de seus guarda-costas morreram na explosão, que aconteceu perto da cidade de Saiyun.

Os grupos terroristas Al Qaeda e Estado Islâmico aproveitaram o atual conflito do Iêmen, entre as forças do presidente Abdo Rabbo Mansour Hadi e os rebeldes houthis, para se expandirem pelo sul do país.