Trump pede que Rússia encontre e-mails de Hillary Clinton que sumiram

  • Por Estadão Conteúdo
  • 27/07/2016 15h04
CLE398 CLEVELAND (OH, EE.UU.), 21/07/2016.- El candidato republicano a la presidencia, Donald Trump, ofrece un discurso durante el día de cierre de la Convención Nacional Republicana 2016 hoy, jueves 21 de julio de 2016, en el Quicken Loans Arena de Cleveland, Ohio (EE. UU.). EFE/MICHAEL REYNOLDSCampanha de Trump pede que Hillary renuncie - EFE

Em entrevista coletiva, o candidato republicano Donald Trump convidou a Rússia nesta quarta-feira a encontrar alguns dos e-mails desaparecidos de Hillary Clinton da época que ela era secretária de Estado. A iniciativa do empresário gerou fortes críticas de que Trump estaria pedindo que uma potência estrangeira espione os EUA.

Como parte da investigação do uso do servidor privado dela de e-mails quando estava em um cargo público, Hillary perdeu cerca de 30 mil e-mails do Departamento de Estado quase dois anos após deixar o posto. Os advogados dela deletaram outros 30 mil que avaliaram como puramente pessoais.

“Rússia, se você estiver ouvindo, eu espero que seja capaz de encontrar os 30 mil e-mails que estão desaparecidos”, ironizou o candidato republicano durante entrevista coletiva realizada em seu resort de golfe perto de Miami.

As declarações ocorreram em uma semana durante a qual os democratas acusaram a Rússia de tentar abertamente se intrometer na eleição presidencial norte-americana. As acusações também lançaram novo foco sobre as expressões de respeito de Trump em relação ao presidente russo, Vladimir Putin.

Minutos após Trump falar, a campanha dele divulgou comunicado de seu companheiro de chapa, o governador de Indiana, Mike Pence, com uma postura mais dura em relação a Moscou. Em sua nota, Pence ameaçou com “sérias consequências” se o FBI descobrir que a Rússia seria responsável por interceptar e-mails do Comitê Nacional Democrata, que foram vazados na véspera da Convenção Nacional Democrata pelo WikiLeaks. Os e-mails mostraram dirigentes partidários tramando para minar a pré-candidatura do senador Bernie Sanders.

Na Flórida, Trump em geral descartou a suspeita de que a Rússia pudesse estar por trás do vazamento de e-mails e repetiu seu desejo de relações mais próximas com um país que os EUA veem cada vez mais como hostil e repressor.

Trump foi questionado na entrevista coletiva se estava pedindo à Rússia que atuasse como hacker em relação aos e-mails de Hillary “Isso cabe ao presidente”, respondeu ele. “Eu não vou dizer a Putin o que fazer. Por que eu deveria dizer a Putin o que fazer?”, questionou. Fonte: Dow Jones Newswires.