Turquia estende Estado de Emergência após ataque do Estado Islâmico

  • Por Estadão Conteúdo
  • 03/01/2017 22h04
Parentes de vítima de ataque na Turquia choram durante velório - EFE

O Parlamento da Turquia votou para expandir os poderes de estado de emergência do governo, na sequência do ataque no Réveillon reivindicado pelo Estado Islâmico, ao passo em que o país luta para conter o aumento de ameaças terroristas e conflitos na policia após a tentativa de golpe do ano passado. 

O homem armado permaneceu foragido após o ataque que matou pelo menos 39 pessoas, e há pouca informação sobre sua identidade além de fotografias de um suspeito divulgadas por autoridades. 

A polícia aumentou o número de buscas pelo país, dobrando as detenções para pelo menos 16 pessoas, incluindo dois cidadãos estrangeiros que estavam entrando em terminal internacional no aeroporto de Istambul, segundo autoridades. 

O lento progresso da caçada pelo agressor aumenta as dúvidas sobre a capacidade do governo de manter a segurança, apesar dos poderes extraordinários das forças de segurança sob o estado de emergência. 

O governo já prendeu quase 14 mil policiais e soldados, incluindo metade dos generais, sob acusações de que teriam apoiado a tentativa de golpe, de acordo com estatísticas do Ministério da Justiça 

Mais de 2.200 juízes e procuradores – alguns com experiência antiterrorismo – também foram presos sob acusações semelhantes.