Uber tem licença negada para operar em Nova Délhi

  • Por Agencia EFE
  • 03/06/2015 13h47

Nova Délhi, 3 jun (EFE).- O governo de Nova Délhi (Índia) rejeitou nesta quarta-feira a concessão de licença para à companhia de transporte Uber operar por não cumprir os requisitos estabelecidos pela lei, como os detalhes de seus motoristas e um plano para revisar seus antecedentes.

O Departamento de Transporte de Délhi pediu a Uber uma declaração com a informação de seus motoristas e seus veículos para regularizar a situação, mas a companhia não apresentou o documento, disse o ministro dos Transportes da capital indiana, Gopal Rai.

Ele afirmou que as empresas indianas Onda e TaxiForSure estão na mesma situação que a americana. Rai ressaltou que estas empresas, que funcionam através de sites na internet, operam de forma ilegal em Délhi, mas que o governo local não pode fazer nada já que apenas o Departamento de Informática do governo central pode bloquear os aplicativos, ação já solicitada.

A Uber foi proibida de atuar na capital indiana depois que em dezembro um motorista da companhia, que tinha antecedentes criminais, estuprou uma jovem que havia dormido no veículo, e voltou a operar um mês depois.

Nesta mesma semana, a empresa teve mais problemas depois que um cliente denunciou que um dos motoristas tentou beijá-lo a força.

A Uber, com sede em San Francisco, nos Estados Unidos, se transformou em pouco tempo em um gigante do transporte presente em 250 cidades de 50 países e é avaliada em US$ 40 milhões, embora tenha tido que enfrentar vários polêmicas judiciais por seu modelo de negócio. EFE

jlr/cdr

None

Nova Délhi, 3 jun (EFE).- O governo de Nova Délhi (Índia) rejeitou nesta quarta-feira a concessão de licença para à companhia de transporte Uber operar por não cumprir os requisitos estabelecidos pela lei, como os detalhes de seus motoristas e um plano para revisar seus antecedentes.

O Departamento de Transporte de Délhi pediu a Uber uma declaração com a informação de seus motoristas e seus veículos para regularizar a situação, mas a companhia não apresentou o documento, disse o ministro dos Transportes da capital indiana, Gopal Rai.

Ele afirmou que as empresas indianas Onda e TaxiForSure estão na mesma situação que a americana. Rai ressaltou que estas empresas, que funcionam através de sites na internet, operam de forma ilegal em Délhi, mas que o governo local não pode fazer nada já que apenas o Departamento de Informática do governo central pode bloquear os aplicativos, ação já solicitada.

A Uber foi proibida de atuar na capital indiana depois que em dezembro um motorista da companhia, que tinha antecedentes criminais, estuprou uma jovem que havia dormido no veículo, e voltou a operar um mês depois.

Nesta mesma semana, a empresa teve mais problemas depois que um cliente denunciou que um dos motoristas tentou beijá-lo a força.

A Uber, com sede em San Francisco, nos Estados Unidos, se transformou em pouco tempo em um gigante do transporte presente em 250 cidades de 50 países e é avaliada em US$ 40 milhões, embora tenha tido que enfrentar vários polêmicas judiciais por seu modelo de negócio. EFE