UE investe 2,3 milhões de euros para ampliar papel de mulheres no Afeganistão

  • Por Agencia EFE
  • 08/03/2015 07h29

Mulher afegã reza durante celbração do NouruzMulher afegã reza durante o Nouruz

 A União Europeia (UE) anunciou neste domingo um novo programa que destinará € 2,3 milhões de euros para reforçar o papel da mulher na prevenção de conflitos e na construção da paz no Afeganistão, volume ligado ao plano de ação nacional para aplicar a resolução 1325 das Nações Unidas.

“O Afeganistão precisa de mulheres líderes, juízas, políticas, economistas, líderes de opinião; mulheres para admirar”, assinalou a alta representante da UE, Federica Mogherini, em comunicado divulgado pelo Dia internacional da Mulher.

Mogherini destacou que é preciso mulheres líderes para combater o legado de discriminação existente no Afeganistão, para garantir que seus direitos constitucionais sejam respeitados, que seu papel na sociedade seja reconhecido e que a “horrível violência baseada em conceitos antiquados de honra chegue ao fim”.

A chefe da diplomacia europeia reconheceu que nos últimos 13 anos houve uma “mudança positiva” no Afeganistão, e que agora as meninas vão à escola e as mulheres podem votar.

“Não podemos perder tudo isto. Temos que continuar melhorando a vida dos afegãos, em particular das mulheres”, acrescentou.

Ela também sustentou que “temos que nos assegurar que essas meninas na escola hoje se transformem nas líderes de amanhã”.

A UE anunciou também hoje outras iniciativas para fomentar a formação de mulheres nos próximos cinco anos, como a concessão de bolsas de estudos em várias instituições comunitárias, práticas nas administrações públicas em institutos europeus e um programa de intercâmbio de mais longo prazo.

“Estes novos programas ajudarão a preparar a nova geração de mulheres afegãs para ocupar posições de liderança no Afeganistão de amanhã”, ressaltou Mogherini.