UE quer iniciar diálogo sobre Brexit assim que possível, diz Merkel

  • Por Estadão Conteúdo
  • 29/06/2016 10h42
Chanceler alemã Angela Merkel em debate geral no parlamento de Berlim

Os países-membros da União Europeia querem iniciar negociações sobre o rompimento do Reino Unido com o bloco o mais breve possível, afirmou, nesta quarta-feira (28), a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. Na semana passada, a maioria do eleitorado britânico votou pela saída do Reino Unido da UE, num processo que ficou conhecido como “Brexit”.

A estadista germânica falou após dois dias de reunião da cúpula de estadistas europeus, em Bruxelas, comentando também que a Alemanha precisará impulsionar a eficiência e competitividade de sua economia para compensar a perda do Reino Unido como parceiro comercial no bloco.

O governo alemão ainda não estimou o custo econômico do Brexit, mas Merkel ressaltou que “obviamente, para as relações comerciais”, trata-se de “uma situação difícil”.

“Quanto mais cedo houver clareza, menos incerteza haverá e, então, poderemos fazer previsões”, referiu a chefe de Estado, complementando, “temos interesse de que haja ainda mais competitividade e eficiência” na economia alemã para “compensar o que perdemos”.

A fala da líder da maior economia do continente veio um dia depois do parlamento europeu se reunir com o primeiro-ministro britânico, David Cameron, para discutir a logistica e o impacto do Brexit.

Ao ser perguntada sobre o pedido do governo italiano de se conceder mais flexibilidade para as regras financeiras do bloco depois do desligamento de Londres, Merkel reiterou rejeitar essa hipótese.

“O Pacto de Estabilidade e Crescimento já tem flexibilidade suficiente”, afirmou a chanceler, referindo-se às normas de Bruxelas para as finanças dos países integrantes.

A líder disse ainda que a UE vai voltar seus esforços de integração para a área de investimentos, citando, como exemplo, a fabricação de microprocessadores.

Sobre a renegociação das relações diplomaticas com a Grã-Bretanha para o país ser parceiro comercial fora do grupo dos 27, Merkel disse que o acesso ao mercado não poderá ser concedido sem a livre circulação de pessoas.

“A Grã-Bretanha precisa apresentar suas intenções de como gostaria de moldar” sua relação conosco (UE), notou, pontuando, em seguida, que a União Europeia “gostaria de destacar que o acesso ao mercado único só pode ser concedido com a observação dos quatro pontos de liberdade”.