Um mês depois do terremoto e ainda falta vida no Nepal, diz sobrevivente

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2015 10h16
Nepal antes e depois

Um mês após o primeiro grande terremoto que destruiu o Nepal, o país ainda não começou a se reconstruir. Nos últimos dias o comércio começou a reabrir e poucos carros circulam pelas ruas. “É você olhar ao redor e se perguntar onde está a vida”, contou à Jovem Pan a missionária Violeta Guarino, que vive no país há seis anos.

A voluntária relatou que o sentimento que tomou o Nepal é de tristeza, mas que há esperança. “O que a gente espera é que esse terremoto não tenha movido somente a terra, mas quer tenha movido corações”, disse ao ressaltar a dependência de auxílio internacional.

Os milhões de desabrigados continuam em tendas provisórias. É o que contou a embaixadora do Brasil no Nepal, Maria Tereza Mesquita Pessoa. “Um grupo de engenheiros está fazendo avaliação de prédios para saber se estão seguros ou não. Vai ser um período longo de recuperação que ainda não foi iniciado”, afirmou.

O país enfrentou terremoto de 7,8 graus de magnitude em 25 de abril e um segundo tremor em 12 de maio que alcançou 7,3 graus. Cerca de 8 mil pessoas morreram, 16 mil ficaram feridas e milhões foram encaminhadas para abrigos e abrigos dependendo de ajuda humanitária.