Uruguai enviará 22ton de carne certificada como livre de hormônios aos EUA

  • Por Agencia EFE
  • 12/08/2015 20h40

Montevidéu, 12 ago (EFE).- O Uruguai enviará aos Estados Unidos em setembro 22 toneladas de carne bovina certificada como livre de antibióticos, hormônios e proteínas animais sob o selo “Never Ever” (Nunca Jamais), outorgada pelo Departamento de Agricultura americano (Usda), informaram nesta quarta-feira fontes oficiais.

O ministro de Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai (MGAP, na sigla em espanhol), Tabaré Aguerre, disse em entrevista coletiva que o Uruguai está tentando “encontrar um nicho de mercado para um produto especial impossível de ser produzido em outros países”.

Para certificar a ausência de antibióticos, hormônios e proteínas de origem vegetal nos rebanhos, o Uruguai utiliza um sistema especial que detalha a vida de cada animal, explicou o Aguerre.

“O principal da certidão é diferenciar ainda mais as carnes uruguaias em relação às dos concorrentes”, disse o ministro durante a apresentação do selo “Never Ever”.

O titular da MGAP explicou que a utilização de hormônios e de proteínas de origem animal é proibida por lei no Uruguai para a alimentação de gado bovino e ovino, assim como a utilização de antibióticos para favorecer o crescimento dos rebanhos.

O presidente do Instituto Nacional de Carnes do Uruguai (Inac), Federico Stanham, destacou que o selo surge devido à demanda por esse tipo de carne pelo mercado americano, onde avaliou que os consumidores estão “particularmente preocupados” pelo uso de antibióticos usados na criação de gado.

Stanham explicou que, quando os animais que precisam ser medicados, isso fica registrado. Eles automaticamente serão excluídos do regime do selo “Never Ever”, mas poderão ser exportados para outros mercados.

Além disso, os embarques sobe o novo regime certificado, voluntário em nível de estabelecimentos agropecuários e frigoríficos, incluirão um rótulo verde com a informação correspondente para se diferenciar dos demais. EFE