Vai viajar? Informar os vizinhos pode evitar furtos em sua casa; veja dicas da PM

  • Por Daniel Keny/Jovem Pan
  • 21/12/2015 18h18

Número de roubos e furtos em residências na capital paulista aumenta no final do ano

Roubos no fim do ano

O bolso mais cheio do paulistano após o recebimento do 13º salário acaba chamando a atenção dos criminosos e, consequentemente, aumenta o índice de assaltos na Capital. Segundo dados da Polícia Militar do Estado de São Paulo, no período que antecede o Natal, as ocorrências chegam a aumentar 80%; após o Natal, o registro de crimes dessa natureza cresce até 60% nas regiões litorâneas.

Entre os feriados de Natal e Ano Novo, milhares de paulistanos vão ao litoral e deixam suas casas vazias. É neste momento que os ladrões aproveitam para realizar furtos, assim, investir na aquisição de alarmes e sistemas de iluminação com temporizador é uma saída para reforçar a segurança. Instalar trancas extras nas portas e janelas está entre as alternativas de baixo custo para diminuir as chances de invasão. “Com a dificuldade de acesso, o criminoso tende a desistir. Ele não quer ser percebido e não vai colocar a própria segurança em risco” afirma o major Emerson Massera, da Polícia Militar

Outra medida de segurança coletiva é a integração com os vizinhos, conforme explica Evaldo Coratto, coordenador estadual do Conselho Comunitário de Segurança de São Paulo (Conseg). “O programa Vizinhança Solidária, realizado por vários Consegs, propõe um canal de comunicação direta entre a comunidade. Por WhatsApp, os moradores informam uns aos outros se vão viajar e ajudam-se mutuamente em prol da segurança no bairro”.

Atenção é essencial

Com a população sob maior risco de sofrer roubos e furtos neste período do ano, o major Massera destaca que a falta de atenção pode ser determinante: “as pessoas às vezes negligenciam um pouco a atenção e acabam sendo presas fáceis para os criminosos”, diz.

Foi o que aconteceu com a família de Fabia Shimoyama. Ao entrar na garagem de casa, seu marido foi abordado por bandidos armados – minutos depois, com seu carro, Fabia também foi rendida. “Eles já tinham amarrado meu marido e meus dois filhos no banheiro, mas me levaram junto pela casa para procurar joias e objetos de valor. A minha filha caçula estava comigo e chorava muito. Eles faziam ameaças, foi terrível”, conta.

O oficial da PM reforça a importância de nunca reagir. “Faça movimentos suaves, avisando antes o criminoso. Depois que os bandidos forem embora, acione a Polícia Militar pelo 190, imediatamente”.  Questionado sobre os locais onde a incidência deste tipo de crime é mais frequente, informou que a Polícia Militar não detecta “uma tendência de que a criminalidade seja maior nos bairros ricos e de classe média alta”, portanto, “as recomendações são igualmente importantes para moradores de bairros de classe média baixa”.

Mesmo na hora do lazer, mantenha-se atento

Apesar do efetivo policial mais numeroso no litoral e em algumas cidades do interior – a Polícia Militar não divulga os números por questões de estratégia –, o major Emerson Massera pede atenção redobrada, mesmo durante as festas. “Nas casas de veraneio, os criminosos oportunistas aproveitam o momento que a família vai receber os amigos e, naquele clima de congraçamento, acabam se descuidando. Esses bandidos não pertencem a quadrilhas especializadas e costumam ser violentos, fique sempre muito atento”, aconselha.