Vendas para o Dia das Crianças cai 5% em comparação com 2015

  • Por Jovem Pan
  • 09/10/2016 12h39
O desemprego e a menor renda dos consumidores são os principais motivos para os paulistanos não gastarem muito em presentes

As vendas para o Dia das Crianças devem registrar uma queda de cinco por cento em São Paulo em comparação com o ano passado, segundo a Associação Comercial.

O desemprego e a menor renda dos consumidores são os principais motivos para os paulistanos não gastarem muito em presentes.

Em 2015 as vendas para o dia das crianças tiveram o pior resultado dos ultimos seis anos, com uma baixa de quase 9%.

Presidente da associação comercial de São Paulo, Alencar Burti, diz que é preciso encontrar soluções para diminuir o desemprego e aumentar as vendas.

“Se você tem 12 milhões de desemprego e uma queda de 5%, os 5%, embora preocupante, deixa de ser o maior problema. O maior problema são 12 milhões de desempregados que podem agravar esse 5% pro ano que vem. (…) Eu acho que estmaos num processo de recuperação, a associação tem procurado dar todo apoio ao governo. Não é hora de fazer oposição, é hora de fazer soluções para que nós superemos esse problema que estamos vivendo, tanto no campo político quanto no econômico”, afirmou Burti.

Segundo ele, as lojas estão liquidando os estoques e as promoções são maiores do que nos anos anteriores. O presidente da associação comercial de São Paulo afirmou que é necessario ter otimismo neste momento de crise para que o mercado volte a crescer.

“É importante para o comércio que haja um clima de otimismo, de expectativa otimista. A realidade você não muda em um dia, mas com expectativa, com otimismo, você muda a crise pra outra expectativa bem melhor. O que nós precisamos fazer é termos consciência que vivemos um momento difícil e vamos ter que trabalhar pra alterar”, dosse.

Por se tratar de uma data comercial próxima ao Natal, o Dia das Crianças será utilizado como termometro pelos varejistas para as vendas de fim de ano. Segundo a Associação Comercial de São Paulo os principais produtos comercializados serão brinquedos, roupas, calçados e eletronicos.