Venezuela prorroga plano de racionamento de energia elétrica em parte do país

  • Por Estadão Conteúdo
  • 06/06/2016 10h56
Venezuela: Polícia e manifestantes entram em confronto - EFE

O governo da Venezuela prorrogou, a partir desta segunda-feira (6), o plano de cortes programados no fornecimento de energia elétrica em partes do país, segundo a imprensa local. O Ministério da Energia Elétrica informou que, após 40 dias de vigência do chamado Plano de Administração de Carga (PAC), a iniciativa será mantida para preservar a operação na central hidrelétrica de Guri.

Segundo o jornal El Universal, o ministro da Energia Elétrica, Luis Motta Domínguez, disse que houve uma recuperação no nível dos reservatórios em Guri, mas não o suficiente para acabar com o racionamento. O diário disse que o governo de Caracas não definiu uma data para o término da restrição. O ministro reiterou que dentro de 15 ou 30 dias mais chuvas devem elevar os reservatórios, agradecendo a paciência da população, segundo a estatal Venezolana de Televisión. De acordo com a emissora, o sistema de Guri é responsável por mais de 60% da energia elétrica consumida no país.

O governo do presidente Nicolás Maduro implementou um plano especial, segundo o qual às quartas, quintas e sextas-feiras os funcionários públicos não trabalham, além de adiantar o horário de verão dentre outras medidas para economizar energia.

O país vive uma grande crise econômica com falta de produtos básicos, inflação muito alta e recessão. A oposição pressiona por uma votação popular de um referendo revogatório que poderia afastar a gestão chavista. O presidente, por sua vez, tem atribuído a crise a uma “guerra econômica” para derrubar seu governo.

O plano de racionamento, anunciado no fim de abril, atinge dez dos 23 Estados da federação venezuelana.