Viaduto Santo Amaro continua interditado e pode ser demolido, total ou parcialmente

  • Por Jovem Pan
  • 14/02/2016 14h17
SP - VIADUTO SANTO AMARO/SP/TRABALHOS NA ESTRUTURA - CIDADES - Homens trabalham neste domingo (14), no local onde ocorreu o acidente envolvendo caminhão tanque e carreta bitrem na intersecção das Avenidas Bandeirantes e Santo Amaro, na zona sul da cidade de São Paulo, no sábado (13). Após a colisão os veículos pegaram fogo e danificaram a estrutura da ponte Santo Amaro, que foi interditada 14/02/2016 - Foto: LUIZ CLAUDIO BARBOSA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOEstá sendo realizado o escoramento na parte inferior do viaduto para evitar que ele caia sobre a Avenida dos Bandeirantes

Mais de 24 horas depois da explosão de um caminhão tanque e subsequente incêndio que danificou a estrutura do viaduto Santo Amaro, em São Paulo, a ponte e a Avenida dos Bandeirantes, que passa por baixo do viaduto, continuavam fechados para o trânsito na tarde deste domingo (14).

E as complicações para o tráfego da importante via da capital, trecho de caminhos para o litoral, o ABC e partes da zona sul como o Aeroporto de Congonhas, devem continuar por mais alguns dias, no mínimo.

Isso porque a extensão do dano à estrutura do viaduto é estudada para a produção de um “parecer técnico bastante elaborado” que definirá uma das três opções: demolição total, demolição parcial, ou reconstrução do Viaduto Santo Amaro, explica Milton Persoli, coordenador municipal da Defesa Civil.

Se apenas parte da construção for demolida, será o lado do sentido bairro-centro, mais afetado pelas chamas, que se aproximaram dos 1.000ºC no momento do acidente.

A decisão sobre a demolição ou não do viaduto, que estava prevista para segunda (15), foi prorrogada e “ficou para os dias seguintes”. “Não podemos garantir que essa decisão saia amanhã”, explica o coordenador da Defesa Civil.

Técnicos, projetistas, calculistas e inclusive engenheiros que trabalharam na construção do viaduto estão debruçados “24 horas” desde sábado sobre o projeto para averiguar a extensão do dano.

“Decisão difícil”

Persoli diz que essa é uma “decisão difícil” e afirmou que serão levados em conta para tomá-la o custo da obra e o prazo de execução. “A cidade não pode ficar com uma interdição desse porte por um período muito longo”, disse.

Ele garante, entretanto, que o principal item a ser ponderado é o dano estrutural do viaduto.

Bandeirantes

Está sendo realizado neste domingo em caráter emergencial o escoramento na parte inferior do viaduto para impedir que ele caia sobre a avenida. O objetivo é liberar o mais rápido possível a circulação pela Av. dos Bandeirantes, diz Persoli. Já foi realizado um desvio que permite a passagem de transporte coletivo pela Avenida Santo Amaro, mas por baixo do viaduto, nas laterais.

“A prefeitura tem esse objetivo, está focada nisso, em buscar essa alternativa de liberação da Av. dos Bandeirantes”, explica Persoli, lembrando é que uma decisão que não pode ter pressa para ser tomada, pois envolve a seguraça.