Vítimas de atentado em Bruxelas são casal israelense, uma francesa e um belga

  • Por Agencia EFE
  • 25/05/2014 08h14

Bruxelas, 25 mai (EFE).- As vítimas do atentado ocorrido ontem no Museu Judaico de Bruxelas, são dois cidadãos israelenses e uma mulher francesa, enquanto o ferido que está em estado grave é belga, informou neste domingo a promotoria da capital da Bélgica.

A porta-voz da promotoria, Ine Van Wymersch, disse que o estado do homem internado na unidade de tratamento intensivo no hospital Saint Pierre é extremamente crítico”.

Wymersch acrescentou que a polícia acredita que a ação foi realizada por “uma só pessoa, muito bem preparada e armada”, e que as autoridades esperam identificar com a ajuda da população. A polícia irá divulgar hoje uma descrição do suspeito.

A porta-voz pediu que a imprensa só divulgue dados confirmados pela polícia para não confundir a investigação.

Wymersch afirmou que qualquer pessoa que tenha informação sobre o suspeito tem o dever de informar e que a polícia está realizando uma operação para prender o indivíduo.

A porta-voz explicou que uma pessoa detida ontem após o crime ao dirigir um carro visto antes na porta do museu foi liberada e sua condição mudou de suspeito para testemunha.

O Ministério das Relações Exteriores de Israel relevou que duas vítimas eram um casal de cerca de 50 anos, moradores de Tel Aviv e que se encontravam de visita em Bruxelas.

A polícia belga informou ontem que estava tentando identificar um suspeito, que segundo as testemunhas fugiu a pé do lugar, e que estava analisando o “máximo de imagens captadas por câmeras de segurança”.

O crime ocorreu durante à tarde, hora em que as ruas próximas ao museu, nos arredores da popular praça Sablon, estavam repletas de gente.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, condenou o ataque, que considerou “o resultado da constante incitação contra os judeus em seus (respectivos) estados”. EFE

mb/dk