Afirmações de Joesley são graves e viagem de Temer é péssima para ele

  • Por Jovem Pan
  • 17/06/2017 10h39 - Atualizado em 29/06/2017 00h37
Brasília- DF 30-06-2016 Presidente interino Michel Temer, durante encontro com representantes da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil - CACB Palácio do Planalto Foto Lula Marques/Agência PTMichel Temer - Agência PT

O presidente Michel Temer vai viajar nesta semana para a Europa com mais uma pancada em seu governo, após a entrevista do dono da JBS Joesley Batista à revista Época. Segundo o empresário, o peemedebista é “chefe da quadrilha mais perigosa do Brasil.

O comentarista da Jovem Pan Marco Antonio Villa afirmou que o que foi dito Joesley é “tudo muito grave” e a viagem do presidente neste momento não é uma boa para ele. “A viagem do presidente, nesse momento, de enorme intenção política, é péssima para Temer. Porque, tudo indica, acho eu, que a PGR deve apresentar a denúncia justamente no momomento em que ele está no exterior. E aí a crise vai aumentar ainda mais”, afirmou.

Segundo Villa, a respeito da parte da entrevista do empresário da JBS em que ele cita a “ameaça” de Eduardo Cunha com a criação de uma CPI, é algo que acontece na esfera municipal, estadual e principalmente no Congresso Nacional. De acordo com o historiador, parlamentares usam da CPI para pressionar empresários e receber propina.

Villa lembrou ainda a possibilidade de delação do doleiro Lúcio Funaro, que também teria relação bem próxima com o presidente da República, o que complicaria ainda mais a situação do governo.

“Se o Temer não temesse nada, ele resolveria a seguinte questão, pediria até para que sua base na Câmara aprovasse a autorização de que o Supremo possa apreciar a denúncia. Apreciar é: receber ou não. Se recebe, ele vira réu. Agora, quando você teme alguma coisa, então você vai tentar interromper esse processo. Vai querer interromper porque infelizmente as acusações que pesam sobre o presidente são verdadeiras”, disse o comentarista.

Confira no áudio acima o comentário completo de Marco Antonio Villa.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.