Agnelo Queiroz não colabora para transferência de mensaleiros petistas

  • Por Jovem Pan
  • 18/03/2014 12h12

Reinaldo, o Ministério Público Federal voltou a pedir que os mensaleiros petistas sejam transferidos da Papuda para um presídio federal. Por que o governador Agnelo Queiroz não está colaborando?

Não, não está, nem um pouco. Olá internautas e amigos da Jovem Pan. Em ofício encaminhado à Vara de Execuções Penais no fim da noite de sexta, o Ministério Público Federal voltou a pedir que os mensaleiros do PT que estão presos na Papuda sejam transferidos para um presídio federal. O MP alega, e com razão, que a sua permanência na instituição de Brasília põe em risco a segurança pública.

E põe mesmo, explico. Reportagem publicada pela revista Veja desta semana demonstra que José Dirceu e seus companheiros recebem visitas em horário especial, não comem a comidinha servida a outros detentos. Dois presos, imagina, estão como cozinheiros da turma. Fazem suas refeições em locais separados, recebem alimentação oriunda de lanchonetes e podem ter acesso, como é o caso de Dirceu, até aos serviços de um podólogo.

O ex-ministro fez da biblioteca do presídio, a que poucos presos têm acesso, uma espécie de escritório pessoal. Uma beleza. O MP havia encaminhado um documento ao governo do DF indagando se a Secretaria de Segurança Pública tinha condições de fazer cumprir as regras do presídio. Agnelo Queiroz, o governador, do PT, preferiu responder com ironias e ainda acusou o MP de estar politizando a questão.

Pois é. O governador, lembre-se de novo, fez uma visita secreta aos mensaleiros. Indagado a respeito nesta segunda, foi direto: “vou continuar indo à Papuda visitá-los, vou sim”. No dia 25 do mês passado já havia encaminhado solicitação parecida, o risco maior do tratamento diferenciado é haver uma rebelião no presídio. É evidente que ninguém sob a custódia do Estado deve ser mal tratado, mas não há nada que justifique os privilégios.

Os benefícios especiais de que vinha gozando Delúbio Soares, quando estava no Centro de Progressão Penitenciária, geraram duas baixas. Emerson Antônio Bernardes foi demitido do cargo de vice-diretor depois de coibir regalias ao ex-tesoureiro do PT. Ordenou por exemplo, vejam que absurdo, que ele retirasse a barba. É proibido ter barba comprida na cadeia. Em seguida demitiu-se Afonso Emílio Álvares Dourado, o diretor.

Basicamente três fatos irritaram petistas e motivaram as demissões. A proibição da barba de Delúbio, a decisão de impedir que um carro da CUT entrasse no pátio interno para levá-lo ao, como direi, “trabalho” e a divulgação de uma reunião que o mensaleiro fez com o presidente do Sindicato dos Agentes de Atividades Penitenciárias, Leandro Alan Vieira.

Vocês entenderam direito. O presidiário Delúbio Soares fez uma reunião com o sindicalista que lidera os agentes penitenciários. Não ouvintes, isso não se parece com a Casa da Mãe Joana. Isso é a própria Casa da Mãe Joana. Chico vigilante, líder do PT na Câmara Legislativa do DF, afirmou ao jornal O Globo que visita Dirceu no Complexo da Papuda a qualquer momento, quando quiser.

A Vara de Execuções Penais do Distrito Federal vai agora ouvir a Defensoria Pública e depois vai tomar uma decisão sobre a transferência para um presídio federal. Uma coisa é certa, os petistas privatizaram o Complexo da Papuda e transformaram o presídio em uma espécie de sucursal do partido.