Assembleia do Rio é um horror regado a coquetéis

  • Por Jovem Pan
  • 15/11/2016 08h49
Jorge Picciani

Em meio a severa crise, Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro continua ampliando gastos.

A Alerj abriu licitação para comprar remédios, contratar ambulância UTI 24 horas e cursos de línguas para parlamentares, e agendou 88 coquetéis.

Marco Antonio Villa comenta: puxa, haja coquetel. O que o pessoal come e bebe lá não está escrito. Esse é o famoso regabofe.

O caso do Rio de Janeiro é escandaloso e o pacote que o Pezão apresentou é de uma violência dos diabos.

Quem domina a Alerj é o Jorge Picciani, pai do Leonardo, que foi contra o impeachment, mas hoje é ministro do Esporte de Temer.

A Assembleia Legislativa do Rio é um horror. A de São Paulo tem seus problemas, mas comparada à do Rio parece a Câmara dos Lordes.