China quer que povo esqueça massacre de 1989 em Pequim

  • Por Jovem Pan
  • 04/06/2014 13h41

Neste 4 de junho, completa-se 25 anos do massacre de manifestantes pró-democracia na Praça da Paz Celestial em Pequim na China. De acordo com o comentarista JOVEM PAN Caio Blinder, não existem cifras oficiais, morreram centenas e o governo quer que os chineses esqueçam o que aconteceu em 1989.

Blinder cita o livro “República Popular da Amnésia”, da jornalista Louisa Lim, da Rádio Pública Americana. A autora realizou um expremento sobre o que ela qualifica de “grande esquecimento”.

A jornalista confrontou estudantes de quatro importantes universidades de Pequim, com uma das fotos icônicas da história humanidade: um homem solitário enfrenta uma coluna de tanques no dia seguinte ao massacre.

Porém, apenas 15 dos 100 estudantes souberam identicar a foto. Um estudante perguntou se era na Coreia do Sul, outro se era em Kosovo. Outros tantos pensaram que se tratava de uma parada militar.