Lula já levou Geraldo Alckmin e agora quer levar o PSDB também

Ex-presidente é capaz de fazer qualquer negócio e é o candidato que mais se vira para fortalecer sua candidatura

  • Por Álvaro Alves de Faria
  • 27/01/2022 13h11
WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO Ex-presidente Lula discursa em ato Ex-presidente Lula articula sua candidatura às eleições deste ano

Luiz Inácio da Silva quer falar com Fernando Henrique Cardoso. Luiz Inácio é capaz de fazer qualquer negócio. Que será que Luiz Inácio quer com FHC? Quer o apoio do PSDB. É uma loucura completa mas, no final, é isso mesmo. Luiz Inácio ignora que o PSDB tem um candidato à Presidência da República. Isso pouco lhe importa. Então precisa combinar com o governador João Doria. E mais: FHC já disse a quem quisesse ouvir que apoiará Doria na eleição presidencial. A não ser que o mundo exploda. Pois é, Luiz Inácio quer esse apoio, na cara dura. Os delinquentes costumam agir assim. Não têm constrangimento algum para agir dessa maneira. É mais ou menos o que ele fez nas duas vezes que governou o país. Parecia um rei. Luiz Inácio acha que o apoio do PSDB é possível.

Por isso ele colocou o ex-governador Geraldo Alckmin na garupa da sua bicicleta. E com o seu passado, Geraldo Alckmin se submeteu a isso. Deve estar com raiva e tem razão. O ex-presidente e ex-presidiário por corrupção não para. É o candidato que mais se vira para fortalecer sua candidatura. Os outros candidatos ainda estão à espera não se sabe do quê. E Lula não para. Tanto insistiu que já tem um encontro marcado com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso para tratar da eleição presidencial. Luiz Inácio acredita que com Alckmin na chapa petista pode conseguir o apoio que deseja. Não se encontraram ainda por causa da Covid, que aumentou. FHC não está recebendo ninguém em sua casa, onde passa todo o tempo sozinho. Mas como é que se pode explicar uma loucura dessas? Precisa ter muita coragem ou achar que todo mundo é igual a ele, o grande descarado da política brasileira. Lula está interessado especialmente na ala histórica do PSDB. 

Os dois não se encontraram ainda, mas um interlocutor de Lula já conversou com Fernando Henrique. De acordo com o PT, esse interlocutor saiu satisfeito do encontro, achando que o apoio de FHC a Lula é possível, sim, conforme mostra reportagem do O Globo. Dizem os alucinados do PT que Luiz Inácio está feliz da vida. O importante é conversar com Fernando Henrique, mas enquanto não é possível, ele vem rodeando com um buquê de rosas vermelhas outras figuras importantes do PSDB. É o caso do ex-senador Aloysio Nunes, uma figura importante no partido, que é ouvido pelos seus pares. Nunes nada tem a esconder de ninguém e até já tornou pública sua opinião favorável a essa aproximação, que será um gesto bastante positivo para a política do país, que está no bico do corvo. Os petistas mais afoitos garantem que o apoio do PSDB a Lula será concretizado já no primeiro turno da eleição presidencial. De qualquer maneira, Aloysio Nunes quer falar antes com FHC, o que ainda não tem o dia marcado. Por enquanto, Nunes nega que já exista alguma articulação entre o PT e o PSDB. Não. Tem-se que conversar muito sobre isso.

Luiz Inácio tem se reunido com muitas lideranças do PSDB e diz que os tucanos perderam a força política quando Aécio Neves passou a ser o dono do partido em 2014. E tudo piorou com a chegada de João Doria. Em outras palavras, Luiz Inácio quer dizer que o PSDB está destroçado e sem liderança. As verdadeiras lideranças ainda estão na fase histórica do partido, que se enfraquece cada vez mais. Ao mesmo tempo em que a movimentação de Luiz Inácio se intensifica, o PSDB vive um clima delicado. Depois de vencer a prévia para ser o candidato a presidente, João Doria vem sendo aconselhado a desistir da candidatura e, agora, presidir o partido a partir de maio. Seria até uma forma de unir o PSDB novamente. Pensa-se em prorrogar a gestão do atual presidente nacional do partido, Bruno Araújo, além de todos os chefes de diretórios estaduais e municipais. O partido está rachado completamente. Dória acredita que a rejeição ao seu nome vai diminuir até a eleição e que seu governo em São Paulo será melhor avaliado até lá. A verdade é que uma ala do PSDB quer que Doria avalie sua candidatura à Presidência da República. Enquanto isso, Luiz Inácio vai se infiltrando no partido. Ninguém em sã consciência pode imaginar como será essa conversa com FHC. Lula já levou Geraldo Alckmin e agora quer levar o PSDB. É tudo uma beleza. Na verdade, eles todos se merecem. 

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.