Endometriose pode causar ansiedade e depressão; não se deve tratar apenas a dor da doença

Estudo comparando o impacto do problema na saúde emocional aponta que a dor pélvica é realmente um fator agravante para as mulheres que estão nessa condição

  • Por Camila Magalhães
  • 19/11/2020 13h48
PixabayEndometriose é definida como um crescimento irregular do endométrio em regiões fora do útero e pode acarretar em ansiedade e depressão

A endometriose é uma doença muito prevalente em nossa sociedade, e, por conta dela, muitas mulheres sofrem consequências que podem ir desde disfunções em órgãos específicos até quadros de depressão e ansiedade. Isso quer dizer que a endometriose, assim como muitas outras doenças, possui uma via de mão dupla com a nossa saúde mental: uma afeta a outra, para o bem e para o mal. A endometriose é definida como um crescimento irregular do endométrio em regiões fora do útero; observa-se então a presença de endométrio em locais em que ele não deveria estar, geralmente em outros órgãos da pelve, como os intestinos, a bexiga, trompas, ovários, e por aí vai. Esse processo pode causar dores pélvicas e infertilidade.

Um ponto muito importante é que a endometriose pode ser assintomática, sem causar dores, o que ressalta a importância de se consultar uma ginecologista e fazer os exames de rotina pra tentar rastrear a doença o quanto antes. A endometriose sintomática, por sua vez, pode ser muito debilitante, chegando a causar dores pélvicas muito intensas. Justamente por essas essas dores serem incapacitantes, a doença está associada a transtornos mentais como a depressão e a ansiedade. Nesse sentido, um estudo comparando o impacto da endometriose na saúde emocional aponta que a dor pélvica é realmente um fator agravante para as mulheres que estão nessa condição. Considerando-se que a endometriose prejudica várias atividades cotidianas e às vezes impossibilita o engajamento em relações sexuais, as autoras do estudo sugerem que tratar apenas a dor pode não ser suficiente, e que o acompanhamento de profissionais que tenham como foco na saúde mental é fundamental.

Por fim, uma das principais formas de tratamento da endometriose é a administração de hormônios, o que também pode levar a um grande impacto no bem-estar das pacientes, já que o desbalanço hormonal decorrente do tratamento pode ser, em si, um agravante para a saúde mental. Diante desse cenário minha recomendação para todas as mulheres é: visite sempre sua ginecologista e tenha sempre seus exames em dia. Se você tiver endometriose, preste atenção redobrada ao seu bem-estar, ao seu estado de espírito, e, no menor dos sinais, consulte profissionais de saúde mental.

Se tiver algum comentário, ou quiser sugerir algum tema, escreva pra mim: drcamila@jovempan.com.br
Até a próxima!