Denise: Selic deve cair ainda mais neste ano e atingir 4,5%

  • Por Jovem Pan
  • 05/11/2019 10h02
Charles Sholl/Estadão ConteúdoBanco Central lembra que Brasil vive situação inédita com juros baixos e inflação controlada

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central (BC) divulgou, nesta terça-feira (5), a ata de sua reunião da semana passada, quando decidiu, por unanimidade, reduzir a Selic (a taxa básica da economia) de 5,50% para 5,00% ao ano. De acordo com o documento, há a possibilidade de a taxa ser reduzida pelo menos mais uma vez, também em 0,5 ponto percentual – chegando a 4,5% ao ano – até o fim de 2019.

Sobre cortes adicionais, para além dos 4,5% ao ano, no entanto, não há certezas. O BC deixou a possibilidade em aberto, afirmando que está considerando os estímulos monetários ocorrendo no exterior, como a redução de juros em vários países – que também pode facilitar cortes adicionais no Brasil. A instituição financeira cita, inclusive, o fato de isso estar beneficiando esses países emergentes, e lembra que, embora o Brasil esteja vivendo um período de ociosidade econômica, temos expectativa de aceleração nos próximos trimestres.

O Copom ressalta, no entanto, que o país vive uma situação inédita – portanto, sem parâmetro para comparação para futuras decisões. O Brasil nunca registrou juros tão baixos e uma inflação bem comportada e, por isso, o BC vai acompanhar a situação – mas está aberta a possibilidade de novos cortes.