Apaixonada por TV, Carolina Vargas fundou holding pioneira no mercado audiovisual: ‘Não temos concorrentes’

Criada em 2014, a Stenna é proprietária do único canal infantil para a idade pré-escolar sem publicidade e distribui veículos do quilate de Jovem Pan News, TVE, Euronews, Woohoo e BM&C

  • Por Fabi Saad
  • 02/02/2022 10h00
Divulgação Foto do rosto de uma mulher morena na casa dos 30 ano Carolina Vargas é fundadora e CEO da Stenna, holding que tem transformado o mercado do entretenimento e a distribuição de conteúdos

Nossa Mulher Positiva de hoje é Carolina Vargas. Economista e especialista em direito do entretenimento, ela fundou em 2014 a Stenna, líder no segmento de distribuição audiovisual no Brasil, que tem transformado o mercado do entretenimento e a distribuição de conteúdos brasileiros e internacionais. “Me arrisco a dizer que não temos nenhum concorrente no Brasil. Pelo menos, não que eu saiba. Ou não um que consiga entregar com tanto conhecimento e dedicação o modelo de negócio que nós entregamos”, diz Carolina. “Somos proprietários do ZooMoo Kids, o único canal infantil para a idade pré-escolar que não tem publicidade. Administramos a expansão e distribuição de canais como Jovem Pan News, TVE, Euronews, Woohoo e BM&C. Nosso modelo de negócio, e grande diferencial, é traduzir o conteúdo de uma maneira inclusiva para todos os modelos e portes de operadoras de TV por assinatura do Brasil do mundo. Ah, somos pioneiros neste modelo de entrega.”

1. Como começou a sua carreira? Comecei sendo trainee do Grupo Directv Latam, ainda no princípio da TV paga no Brasil. Estava em em começo de carreira, e uma prima que admiro muito, na época gestora de RH, me deu o “toque” de que eu já tinha idade para trabalhar em algo com o que sonhava. Eu sempre fui apaixonada por TV, por que não iniciar neste segmento? Assim segui e consegui entrar para o time, o que foi um sonho, pois, tive a possibilidade de conhecer praticamente todos os departamentos: marketing, programação, internet (na época era esta era a nomenclatura da área), fidelização, rentabilização e até mesmo o SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente). Tendo uma visão mais completa do funcionamento de uma TV por assinatura, minha paixão por este mercado, de lá para cá, só aumentou.

2. Como é formatado o modelo de negócios da Stenna? Atualmente, a Stenna é uma holding do segmento de entretenimento. Me arrisco a dizer que não temos nenhum concorrente no Brasil! Pelo menos, não que eu saiba. Ou não um que consiga entregar com tanto conhecimento e dedicação o modelo de negócio que nós entregamos. Somos proprietários de um canal da TV paga chamado ZooMoo Kids, que é o único canal infantil para a idade pré-escolar que não tem publicidade e que trabalha a inclusão de maneira completa para as crianças. Ao mesmo tempo, administramos a expansão e distribuição de canais tão importantes para o Brasil como a Jovem Pan News, TVE (TV Espanha), Euronews, Woohoo, BM&C, entre outros, nacionais e internacionais. Nosso modelo de negócio (e grande diferencial) é traduzir o conteúdo de uma maneira inclusiva para todos os modelos e portes de operadoras de TV por assinatura do Brasil do mundo. Ah, somos pioneiros neste modelo de entrega.

3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira? Cada período de crescimento tem sua dificuldade específica. Esses dias, vi em um vídeo que a dor de cada um depende do nível de “machucado” que cada um viveu. Pensando nesta “teoria da internet”, me arrisco a dizer que cada dia como empreendedor eu passo por momentos muito difíceis e, outros, compensadores. Não tenho nenhuma citação específica para compartilhar, pois no meu “mindset” somente existe gratidão por todas as dificuldades pelas quais eu passo e passei. Mas, para ser mais genérica e trazer aos que estão buscando empreender (ou até mesmo os que já empreendem e buscam trocas de conhecimentos), o momento de dificuldade sempre será compreender e satisfazer o ser humano, seja ele um cliente, um funcionário, um sócio, um parceiro… O que fazemos em busca do nosso crescimento nem sempre deixa o outro em seu momento de satisfação, e, sem sombra de dúvidas, lidar com estes altos e baixos emocionais, se não encontrarmos um ponto de equilíbrio, pode trazer ao nosso caminho uma trilha cheia de buracos e nos levar a um descontentamento que não nos impulsiona a seguir.

4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa/empreendedora? Boa pergunta, Fabi! Isso é algo completamente difícil, ainda mais nos tempos atuais, onde demonstrar burnout tem se tornado, ao público desconhecedor da psicologia, um sinônimo de sucesso. Eu tenho, dentro da empresa, minha maior realização pessoal, que é ver todo o meu sonho se tornando realidade. Então, transformo meus dias de trabalho em momentos de compensação emocional para mim e, assim, sigo realizada. O “termômetro” sempre é quando nós sentimos que devemos mudar o rumo da energia para cada tomada de decisão. Cuidar da alimentação e praticar esportes quando for possível também fazem parte do meu dia a dia, sempre equilibrando horários, compromissos e vontade.

5. Qual seu maior sonho? Parece clichê, mas, como cito acima, atualmente eu vivo meu maior sonho: transformar vidas, conhecimentos, ajudar meus funcionários e clientes a conquistarem seus próprios sonhos. Minha mãe costuma sempre citar que eu, desde pequena, sempre fui uma “criança adulta”, que ficava feliz cuidando das outras crianças que brincavam comigo. E assim é até hoje. Quem me conhece sabe o quanto eu faço tudo por todos que me cercam, e o quanto eu fico feliz quando vejo um dos meus amigos, clientes ou funcionários realizados. Então, meu maior sonho, e minha maior realização pessoal, sem sombra de dúvidas, é ver as pessoas que me cercam felizes. Fazer prosperar a empresa que criei já é uma realidade. Assim espero poder manter por muitas décadas ainda.

6. Qual sua maior conquista? Ter a formação que eu tive, por mérito meu e de minha família, que sempre me apoiou. Vim de uma família em que o estudo e o respeito sempre foram a base de toda a educação e tive em minha casa uma grande inspiração, que é minha tia materna, Walkiria, que sempre me incentivou a ser que eu quisesse, com muita base em conhecimento. Ela é uma pedagoga de mão cheia, e eu sempre me inspirei em levar a ela, a minha mãe, Débora, e minha vó Cida o orgulho de ser conhecedora com profundidade sobre o tema da minha carreira. Elas têm muito orgulho desta conquista que eu alcancei. Por isso, também responder essas perguntas para esta coluna tão importante, formada por mulheres positivas como eu, está na minha lista de conquistas da vida. Muito obrigada, Fabi, por permitir dividir um pouco da minha história com outras mulheres tão guerreiras e sonhadoras como eu.

7. Livro, filme e mulher que admira. Meu livro inspiração de vida se chama “Oportunidades Disfarçadas”. O autor é Carlos Domingos. Foi publicado pela editora Sextante. Filme: “Comer, Rezar, Amar”. Um filme de 2010 que sempre que eu assisto me traz uma sensação diferente sobre a visão da vida. Mulher que admiro: Cristina Junqueira, fundadora do NuBank. É claro, agora que tive a possibilidade de conhecer e conversar, a Fabi Saad, com seu trabalho tão dedicado.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.