Josias de Souza: Coragem de Bolsonaro foge quando ele manuseia a caneta

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2020 07h49
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoSucessor de Luiz Henrique Mandetta, demitido nesta quinta, o oncologista Nelson Teich afirmou que é preciso ter mais dados para tomar as melhores decisões

Novo ministro da Saúde descarta definição brusca sobre isolamento social. Sucessor de Luiz Henrique Mandetta, demitido nesta quinta, o oncologista Nelson Teich afirmou que é preciso ter mais dados para tomar as melhores decisões.

“Descobriu-se que a coragem que Jair Bolsonaro dizia ter é uma estranha qualidade que foge quando o presidente manuseia a caneta. Bolsonaro poderia ter acomodado na vaga de Mandetta um substituto que dissesse ‘amém’ a todas as suas vontades. Mas não teve coragem suficiente para demitir da pasta a ciência.

A má noticias é que a troca de Mandetta, um ortopedista expansivo, pelo Nelson Teich, um oncologista retraído, não resolveu o problema da duplicidade de comando. Naquilo que é essencial o novo ministro, a exemplo do anterior, defende que a tática do isolamento social temporária é a melhor forma de combater o coronavírus nesse momento.

O substituto informa que não vai haver mudança brusca nessa estratégia. Ou o doutor rasga tudo o que escreveu sobre o assunto ou se arrisca a virar apenas mais uma crise esperando na fila para acontecer.”