Fábrica de fertilizante da Petrobras é vendida para grupo russo

Com medida, a expectativa é que o Brasil reduza a dependência de importação do insumo

  • Por Kellen Severo
  • 07/02/2022 10h32
Fernando Frazão/Agência Brasil Mudança nos valores dos combustíveis está atrelada a variação do petróleo no mercado internacional e a oscilação do dólar Petrobras fechou a venda de fábrica de fertilizantes para o grupo russo Acron

A Petrobras fechou a venda da unidade de fertilizantes nitrogenados em Mato Grosso do Sul para o grupo russo Acron. A medida foi avaliada como positiva por analistas de mercado ouvidos no programa Hora H do Agro, da Jovem Pan. Marcelo Mello, diretor da área de fertilizantes na StoneX prevê melhora na oferta doméstica. “A Acron é um excelente grupo, muito grande, o core business deles é nitrogenado, eles têm muita expertise nisso, mas eles também têm uma importância de fósforo e, inclusive tem planos, não começaram ainda, mas tem planos de produzir potássio. É um grupo muito bom, a gente vê isso como uma excelente notícia para o segmento. A produção prevista para essa planta é da ordem de 1,2 milhões de toneladas por ano de ureia. Para você ter ideia, no ano passado, o Brasil importou 8 milhões de toneladas de ureia. Então, é importante, é 15% desse volume que nós vamos produzir localmente, é uma ótima notícia.”

Sobre previsão de queda no preço dos fertilizantes a partir do aumento da produção doméstica, Mello esclarece: “De certo modo, eu não vejo essa venda de forma que vai permitir que o preço caia no Brasil, porque é um commodity, vale dólar, evidentemente, então não tem o que ser feito nesse sentido.” O anúncio da venda foi feito pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, na última semana em visita ao Mato Grosso do Sul. As condições da negociação devem ser divulgadas pela Petrobras em fato relevante nesta semana.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.