Máquinas agrícolas, fertilizantes e sementes: o que esperar em 2022?

Aumento da demanda, somado à escassez de peças e produtos, pode voltar a impactar a capacidade de produção e gerar novos atrasos nas entregas para o campo

  • Por Kellen Severo
  • 09/01/2022 07h00 - Atualizado em 12/01/2022 02h20
aleksandarlittlewolf - br.freepik.comSetor de máquinas agrícolas está preparado para lidar com novas adversidades no ano recém-iniciado

No último ano, a cadeia global de suprimentos sofreu com a ruptura na distribuição de insumos. Durante o período, o aumento da demanda, somado à escassez de peças e produtos, impactou a capacidade de produção e gerou atrasos nas entregas para o campo. Especialistas ouvidos pelo Painel Hora H do Agro deste sábado, 8, indicam que essas questões devem se repetir em 2022.

Fertilizantes

Como já informado no Hora H do Agro, o temor do setor de fertilizantes é de que haja atraso na entrega do insumo a partir do segundo semestre de 2022. Mas, de acordo com o presidente da Yara Fertilizantes, Olaf Hektoen, a indústria deverá ter uma capacidade de resposta rápida perante os obstáculos. “Vamos ter suprimento suficiente, mas todos têm que estar preparados”, alerta. Esse preparo pode vir da compra antecipada de fertilizantes, visando à garantia de uma quantidade mínima a ser utilizada na safra. E, segundo Hektoen, a indústria está recebendo produtos que podem atender essa procura adiantada. “Eu teria cuidado em esperar até o começo da temporada este ano, compraria um pouco antes só para estar seguro”, indica o presidente da Yara Fertilizantes.

Sementes

Com a perspectiva de aumento de área e produção de grãos no Brasil, a demanda por sementes cresceu nos últimos anos e seguirá aquecida em 2022. A indústria vem se preparando há anos para atender essa expansão, mas como se trata de uma atividade “a céu aberto”, diversos fatores podem influenciar na oferta do insumo. Um deles é o clima, que em 2021 prejudicou a produção, acarretando em atraso ou interrupção das entregas. Uma normalização dos processos é prevista para este novo ano. Contudo, o desafio será o timing em busca de um equilíbrio entre oferta e demanda. “Às vezes, o produtor quer plantar mais cedo e a gente não tem a semente naquele determinado momento”, diz Marcelo Salles, presidente da KWS Sementes.

Máquinas agrícolas

Já o setor de máquinas e implementos agrícolas não prevê um novo ano de superação total dos obstáculos de 2021. Contudo, qualquer recuperação nas demais cadeias que proporcione uma rentabilidade ao produtor pode resultar em investimentos tecnológicos, o que pode ser positivo, acredita Vilmar Fistarol, presidente da CNH Industrial para América Latina. “Se nós tivermos tudo isso [recuperação de outros segmentos do agro], acredito que o agricultor vai continuar investindo em máquinas, equipamentos e expansão de área”, destaca.

Confira a edição completa do Hora H do Agro: