Meta do governo é ter definições sobre o novo Plano Safra até 20 de junho

Ministério da Agricultura precisa fechar diretrizes da temporada 21/22 que ainda estão atrasadas

  • Por Kellen Severo
  • 07/06/2021 13h23
Alexander-777/PixabayPlano Safra traz definições sobre crédito rural e linhas de financiamento com subvenção da União para custeio e investimentos do setor agro

O PLN4, projeto de lei que recompõe o orçamento do governo de 2021, foi aprovado na última semana no Congresso Nacional. Com isso, podem ser retomadas as contratações com recursos equalizados do Plano Safra atual e podem ser finalizadas as diretrizes do próximo. A meta é que as definições do novo Plano Safra estejam prontas até o dia 20 de junho, segundo Wilson Vaz, diretor do Departamento de Crédito do Ministério da Agricultura, em audiência pública na última semana. “Plano Safra é uma reunião aberta no governo que só vai fechar em 30 de junho. No dia 1º de julho, tudo tem que estar funcionando. Então nós vamos correr contra o tempo para fazer isso tudo acontecer, o desejável é até 20 de junho.”

Sobre o Plano Safra 21/22, nós já sabemos que há dificuldade de orçamento, em função da alta da taxa Selic e alta da inflação — que são componentes de restrição à oferta de recursos controlados. O aumento do custo de produção e do custo financeiro geram necessidade da subvenção aumentar, em pelo menos, R$ 4,5 bilhões, para que sejam mantidas as mesmas condições de juro e prazo de financiamento do atual Plano Safra. Prioridades do governo continuam sendo pequenos e médios agricultores e investimentos estratégicos como armazenagem, irrigação e Agricultura de Baixo Carbono. Vem aí: um olhar especial para Assistência Técnica e Plano Safra Mais Verde, com possível concessão de crédito condicionada à adoção de critérios de ESG, ou seja, com práticas e tecnologias ligadas à sustentabilidade social, ambiental e de governança corporativa. A ideia é que a mudança nas regras seja gradual, de acordo com o Chefe do Departamento das operações de crédito do Banco Central, Cláudio Filgueiras.

“Hoje em dia, cada vez mais os fundings externos e internos têm buscado operações mais sustentáveis. Se uma parte da agricultura migrar para a sustentável e conseguir demonstrar sustentabilidade ela vai conseguir acessar outras fontes ou mais fontes, para que possamos continuar dando os recursos para os produtores.” O Plano Safra é anunciado uma vez ao ano pelo governo federal e nele estão definições sobre crédito rural e linhas de financiamento com subvenção da União para custeio e investimentos do setor agro. A edição 21/22 passa a vigorar a partir de 1º de julho.