Preço da carne cai com China fora do mercado

Alimento pode ficar mais barato sem a presença do principal cliente externo; em 2021, o país asiático comprou quase 50% de tudo que o Brasil exportou de carne bovina

  • Por Kellen Severo
  • 25/10/2021 09h00
Marcello Casal Jr./Agência BrasilEm 2021, a China comprou quase 50% de tudo que o Brasil exportou de carne bovina

A arroba do boi negociada no mercado brasileiro está em queda desde que a China suspendeu compras do Brasil. A ausência do principal cliente brasileiro nas exportações, o fraco consumo, as dificuldades de renda do brasileiro e o aumento da oferta de gado de confinamento contribuíram para a queda no preço do boi e consequente o recuo da carne no atacado. Em 2021, a China comprou quase 50% de tudo que o Brasil exportou de carne bovina. No entanto, desde setembro o país colocou uma pressão baixista no mercado ao paralisar novas compras após serem notificados dois casos atípicos de vaca louca aqui no país. Mesmo depois de laudos atestarem a segurança do alimento brasileiro e a sanidade do rebanho, o país asiático ainda não retomou as compras.

O mercado pecuário espera voltar a exportar logo para a China e com isso recuperar patamares mais altos da arroba. Já o consumidor deseja saber se a ausência de compras do país asiático pode baratear mais a carne no mercado doméstico. Segundo o pesquisador do Centro de Estudos Avançados em Economia Agropecuária, Thiago Bernardino, há espaço para novos recuos. “A gente pode observar preços da carne mais barata nas próximas semanas devido à maior oferta de animal no campo, sim, até a queda mais forte da arroba. Agora devemos lembrar que temos um custo de processamento, um custo de estocagem e a chegada das festividades de fim de ano. Tenho uma margem dos frigoríficos e do varejo tentando valorizar essa carne. A queda deverá ocorrer, mas em uma magnitude menor do que espera o consumidor devido ao fluxo produtivo.” De tudo o que o Brasil produz de carne bovina, 70% abastecem o mercado doméstico e 30% são destinados à exportação. Das vendas externas, a China é o principal destino. É importante tratar bem os clientes conquistados, ao mesmo tempo que vale investir em novos relacionamentos para diversificar o destino dos nossos produtos e reduzir a dependência de um único comprador.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.