Venda de fábrica de fertilizantes da Petrobras à Rússia é cancelada

Plano proposto pelo grupo Acron impossibilitou a aprovação do governo 

  • Por Kellen Severo
  • 29/04/2022 09h30
Tânia Rêgo/Agência Brasil Fachada da Petrobras escrito em prata em uma placa Petrobras informou que negociação deu errado porque a compradora apresentou um plano diferente do inicial, o que fez o governo reprovar a transação
A venda da fábrica de fertilizantes da Petrobras em Três Lagoas, em Mato Grosso do Sul, ao grupo russo Acron, foi cancelada. Em comunicado, a estatal informou que o que impediu a continuidade das negociações da unidade de fabricação de nitrogenados foi o plano proposto pelo comprador, diferente do projeto inicial. Isso impossibilitou que o governo aprovasse a transação. O anúncio da negociação desta fábrica de fertilizantes, realizado no início de fevereiro pela então ministra da Agricultura, Tereza Cristina, foi comemorado pelo agronegócio, já que a dependência do setor por fertilizantes importados é de 85%. A medida poderia aumentar ligeiramente a oferta de produtos no mercado doméstico, reduzindo a necessidade de se trazer de fora. O processo de venda também passou por grandes incertezas com o início da guerra na Ucrânia e colocou em xeque a capacidade de pagamento do grupo após sanções impostas à Rússia.

Agora, a Petrobras deve colocar novamente a unidade à venda. Em nota, o Ministério da Agricultura informou que a reabertura desse processo, já com o Plano Nacional de Fertilizantes em vigor, trará mais segurança jurídica aos possíveis compradores e deve elevar o número de interessados na aquisição da planta. O setor agro agora aguarda os desdobramentos da situação na torcida para que a próxima negociação seja uma oportunidade para aumentar a oferta doméstica de fertilizantes e diminuir a dependência externa.

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.