Conheça a curiosa história do “Gallo Nero” dos vinhos Chianti

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2016 16h27

O símbolo do Galo Negro nas garrafas de Chianti tem história curiosa

Reprodução O símbolo do Galo Negro nas garrafas de Chianti tem história curiosa

Nesta edição da Enoteca JP, o especialista Esper Chacur aborda aquele que deve ser o vinho italiano mais vendido do Brasil. Os da região de Chianti, na Toscana. Eles são produzidos desde o século XIII na região entre Siena e Florença.

O curioso é que existe uma lenda por trás desse território. “Havia uma grande disputa entre ambos para ter o domínio do local. Um dia, os barões se reuniram e chegaram a uma solução diplomática. Em uma data marcada, um cavaleiro sairia de cada local e, no ponto de encontro, será o marco divisório”, contou Esper.

“No entanto, como não havia despertador, se convencionou que o cavaleiro sairia da origem quando o galo cantasse. O Barão de Siena, então, pegou o galo mais forte separado para acordar. O fiorentino, então, pegou um galo negro e raquítico, sem comer. Qual cantou primeiro? o de Florença, por fome, cantou antes, e o cavaleiro saiu mais cedo”, completou.

Por isso, a região de Galo Nero tem mais influência fiorentina do que de Siena. Em 1716, o Consórcio dos Produtores de Chianti adotou o Galo Negro como logotipo, que é encontrado nos rótulos e garrafas. O vinho é feito da uva Sangiovese preponderantemente.

Confira boas sugestões de Chianti no áudio.