A credibilidade do TSE em jogo

  • Por Jovem Pan
  • 06/06/2017 10h59
Wikimedia Commons Prédio do Tribunal Superior Eleitoral - TSE

Os brasileiros saberão nesta semana se o Tribunal Superior Eleitoral ouve exclusivamente a lei ou também o sussurro de quem diz que a crise não pode “parar o País”.

A dupla Dilma-Temer não teria chance de salvação se os sete ministros utilizassem apenas critérios jurídicos. Eles tiveram, sim, a campanha financiada por corruptos.

Temer, que é quem interessa, só pode ser salvo se os magistrados entenderem que é ruim para o País uma nova troca presidencial.

Se isso acontecer, o tribunal se torna em um puxadinho dos podres poderes, habitado por juízes sem juízo e pronto para se render aos interesses de empresários com medo de falência ou pais da pátria com medo de cadeia.

Assista ao comentário completo de Augusto Nunes:

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.