Cross Country Olímpico foi se tornando cada vez mais difícil

  • Por Jovem Pan
  • 12/08/2016 18h14
Os atletas veteranos que querem continuar na disputa precisam evoluir junto com o esporte

Olá!

Um dos fatores que deixa o Mountain Bike dinâmico e fascinante é a evolução dos atletas veteranos e a disputa com os novatos.

Ao longo dos anos, o Cross Country Olímpico foi se tornando cada vez mais difícil, com percursos mais técnicos, pulos, pedras, raízes e degraus cada vez maiores.

Os atletas veteranos que querem continuar na disputa precisam evoluir junto com o esporte, melhorando as habilidades técnicas e tomando coragem para enfrentar os obstáculos com a mesma ousadia que os jovens destemidos.

E assim, entre os favoritos para vencer a prova de Mountain Bike Cross Country Olímpico na Rio 2016, temos uma linda briga entre gerações!

No masculino, o Suíço Nino Schurter, de 30 anos é o grande favorito, e sua principal concorrência é o francês Julien Absalon, que aos 36 anos busca seu terceiro ouro Olímpico.

No feminino, a distância entre gerações é ainda maior. A alemã Sabine Spitz, de 45 anos e a norueguesa Gun Rita Dahle, de 43, são favoritas junto com a suíça Yolanda Neff de 23 anos, e a sueca Jenny Rissveds de 22 anos.

Ah, e só uma curiosidade: a Gun Rita chegou até a montar uma cópia da pista das Olimpíadas no quintal de casa para treinar e decorar cada movimento!

Bom, deu pra perceber que o que conta no montain bike não é a idade, certo? Que tal assistir essa batalha ao vivo?

Para mais dicas como esta, acesse JovemPan.com.br. Vamos pedalar?