Cuidado: radiação ultravioleta que penetra na pele tem efeito cumulativo

  • Por Jovem Pan
  • 27/03/2017 08h18
Reprodução/Wkimédia Praia Ipanema Rio de Janeiro

A radiação ultravioleta que penetra na pele quando se toma Sol tem efeito cumulativo. Os raios UV danificam o DNA de células e podem surgir lesões malignas. Portanto, a exposição solar crônica, sem proteção, ao longo da vida pode causar câncer de pele.

Como já dissemos aqui, o câncer de pele pode ser não melanoma e melanoma. O não melanoma é o tumor mais frequente no Brasil e o menos agressivo. Já o melanoma é mais agressivo e tem possibilidade de metástase. As queimaduras solares na infância são fatores de risco para melanoma. Por isso, a proteção tem que ser feita desde cedo.

A regra ABCD auxilia na identificação de lesões que podem ser malignas. Se a lesão for assimétrica, com bordas irregulares, a cor tiver dois tons ou mais e a dimensão for de mais de 6 milímetros, pode ser sinal de câncer de pele. Então fique atento a qualquer alteração na sua pele e procure um médico porque só o especialista pode fazer o diagnóstico correto.

Somos o Instituto Vencer o Câncer. Estamos juntos com você nessa luta. Acesse o nosso site: vencerocancer.org.br

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.