Depoimento de Odebrecht ao TSE sobre caixa dois merece alguns reparos

  • Por Jovem Pan
  • 28/03/2017 11h02
Brasil, São Paulo, SP. 19/01/2010 O empresário Marcelo Odebrecht foi um dos presos pela Polícia Federal durante as investigações da Operação Lava-Jato. - Crédito:PITI REALI/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:184591Marcelo Odebrecht - AE

O que disse Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral sobre o caixa dois merece alguns reparos, segundo Augusto Nunes.

Primeiro porque o empreiteiro repetiu a palavra de seus pais de que a corrupção era modelo reinante desde os tempos de seu avô até os dias de hoje.

Segundo, Marcelo Odebrecht declarou que nenhum candidato até 2014 se elegeu sem caixa dois, ao que Augusto Nunes rebate: não é impossível eleger-se sem caixa dois, “as eleições municipais do ano passado provaram isso”.

Caixa dois é crime e envolve tanto o candidato como seu doador, já que ambos lesam o Fisco. “A empreiteira se qualifica até com os candidatos perdedores para ganhar algum tipo de retribuição no futuro. Com os ganhadores, a vantagem é imediata. Repita-se o que disse a presidente do Supremo, ministra Cármen Lúcia: caixa dois é crime e merece ser punido”, diz Nunes.

Assista ao comentário completo:

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.