Deputados do PR assinam manifesto pela candidatura de Lula

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2014 10h38

Reinaldo, que história é essa hein? O manifesto do PR em favor da candidatura de Lula nasceu na cadeia?

É, pode-se dizer que sim, mais propriamente no Centro de Progressão Penitenciária do Distrito federal, já explico. Que coisa esse PR, esse ninho de patriotas realmente não surpreende. 20 dos 32 deputados federais do partido decidiram assinar um manifesto em que defendem que Luís Inácio Lula da Silva volte a ser o candidato do PT à presidência da República, em substituição à Dilma Rousseff.

Mas sabem como é o patriotismo, o partido não rompeu com a presidente não. O PR tem o titular de um ministério bilionário, o dos Transportes, que está a cargo do baiano César Borges. Ocorre que parlamentares afirmam que Borges não atende, vamos dizer assim, as necessidades do partido.

Quais necessidades? Adivinhem. É gente que segue a cartilha moral do ex-presidente da sigla, Valdemar Costa Neto, um dos mensaleiros que estão na cadeia. Mesmo atrás das grades, com direito a sair para trabalhar, ele continua a ser uma das figuras mais influentes do PR. Há muito tempo já, parte da vida pública brasileira não é mesmo um caso de política, mas de polícia.

Vocês devem se lembrar que o Partido dominava de cabo a rabo o Ministério dos Transportes, quando era chefiado por Alfredo Nascimento, que caiu em 2011, quando reportagem da Veja evidenciou que a pasta era um ninho de corruptos. Dilma decidiu fazer então aquela tal “faxina”, que não passou de mera espanada na poeira da superfície, e nomeou alguns técnicos para a pasta.

Embora muitos parlamentares digam que Borges é ministro de Dilma, não do partido, a verdade é que ele é sim sensível aos apelos políticos. No começo deste mês, por exemplo, o então presidente do partido no Pará, Anival do Vale, pai do deputado Lúcio Vale, foi nomeado para a Secretaria Executiva do Ministério, com apoio da bancada. É o segundo cargo mais importante dos Transportes. Nomes para o malfadado Denit, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, passaram pelo crivo de Costa Neto, o presidiário.

E agora voltamos então ao mensaleiro e ao começo dessa conversa. Quem liderou o manifesto em favor de Lula foi o deputado Bernardo Santana, do PR de Minas Gerais, que é justamente um dos principais interlocutores de Valdemar. Assim, é justo constatar que o apelo explícito para que o ex-presidente dê uma tasteira na atual presidente, por enquanto, parte mesmo é do presídio.

Considerando que Lula andou falando em Portugal sobre os mensalão e os mensaleiros, a gente há de convir que a coisa faz todo o sentido, não é mesmo? Vejam a que ponto chegamos, um presidiário, um condenado pela Justiça, na prática, assina um manifesto em favor do retorno de um político à disputa eleitoral. No caso, Lula.

Só falta agora a gente saber o que pensam Fernandinho Beira-Mar e o Marcola.