Destino de Temer na Presidência depende de Marcelo Odebrecht

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2017 09h43
Michel Temer EFE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Gilmar Mendes, vai continuar “fazendo o diabo” para manter no emprego o presidente Michel Temer. Mas a verdade é que o destino de Temer depende do executivo Marcelo Odebrecht, hoje preso em Curitiba.

Nesta quarta-feira (01), Odebrecht começou a contar à Justiça Eleitoral tudo o que sabe sobre a campanha de 2014. Se as suas revelações comprovarem que a chapa formada por Dilma e Temer praticou crime de abuso de poder econômico e político, é certo que Dilma se tornará inelegível e Temer será cassado.

Pouco antes de celebrar o acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato, o dono da empreiteira, Emilio Odebrecht disse aos jornalistas: “com a Lava Jato vocês têm uma manchete por dia. Quando eu e meu filho começarmos a falar, vocês terão uma manchete por hora”.

É possível que uma dessas manchetes noticie o afastamento de Temer. Neste caso, a manchete virá acompanhada de duas subnotícias. O sucessor de Temer será escolhido indiretamente pelo Congresso Nacional. A outra é boa: seja qual for o nome do substituto, a equipe econômica será mantida.

Confira o comentário completo de Augusto Nunes: