Eduardo Cunha leva a melhor sobre o Planalto

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2014 11h05

Reinaldo, quer dizer que o placar está 13 a 0 para Eduardo Cunha na luta contra o Planalto?

É, está sim. Por enquanto ele vai levando de goleada. Olá, internautas e amigos da Jovem Pan. Estou aqui quase a aplaudir de pé o líder do PMDB na Câmara Eduardo Cunha. Segundo o pelotão de fuzilamento montado pelo Palácio do Planalto, integrado por alguns jornalistas e certo colunismo, ele é o culpado de tudo.

Culpado de quê? Dez ministros foram convidados a se explicar aos deputados sobre as suas ações. Em quatro dos casos, há mesmo convocação. Eles são obrigados a ir. Nos outros seis, foram feitos convites. Politicamente, não dá para fugir. Sempre que o Executivo é chamado a se explicar ao Legislativo o Brasil sai ganhando.

Ao afirmar que estou aplaudindo Cunha de pé, é claro que recorro a uma ironia, que nem sempre é bem entendida por aqueles que não obtiveram do destino a melhor proporção cérebro-orelha. É que há dias venho afirmando aqui na Jovem Pan que o confronto do PMDB com Dilma faz ao País mais bem do que mal. Aí alguém poderia dizer: “daqui a pouco o governo faz um acordo com o PMDB e dá o que Eduardo Cunha está querendo, e isso tudo passa”.

Ok, quando isso acontecer, aí eu passo a vaiar Eduardo Cunha. Também de pé. O papel de um jornalista não é ajudar um governo a governar. Há pessoas que são eleitas pra isso. Auxiliares são pagos para isso. O que sei é que desde que o governo entendeu que poderia levar Cunha para as cordas já se aprovou uma comissão para acompanhar a investigação de eventuais falcatruas na Petrobrás, e já se convocaram para falar os seguintes ministros: Gilberto Carvalho, da Secretaria-geral da Presidência; Jorge Hafe, da Controladoria Geral da União; Manoel Dias, do Trabalho; e Aguinaldo Ribeiro, das Cidades;

Seis outros estão convidados: Arthur Chioro, da Saúde; Marco Antônio Raupp, da Ciência e Tecnologia; Paulo Bernardo, das Comunicações; Francisco José Coelho Teixeira, da Integração Nacional; Moreira Franco, da Secretaria de Aviação Civil; e Aldo Rebelo, dos Esportes; Soma-se ao grupo a presidente da Petrobrás, Graça Foster.

Aprovou-se ainda o convite ao Ministério das Minas e Energia. Quem vai falar sobre o risco de apagão é o secretário-executivo Márcio Pereira Zimmermann. E a turma não parou por aí. Aprovou também o convite para ouvir Tuma Junior, ex-secretário Nacional de Justiça que escreveu o livro “Assassinato de Reputações”. Segundo ele acusa, enquanto esteve no cargo, recebeu ordens para fabricar e esquentar dossiês contra adversários do PT. Um de seus principais alvos é Gilberto Carvalho, que foi convidado por duas comissões, a de Fiscalização Financeira e Controle, e também a de Segurança.

Considerando a comissão que vai acompanhar a investigação da Petrobrás, e a convocação ou convite que alcançaram dez ministros, mais Graça Foster e Tuma Junior, o placar da luta entre o Palácio do Planalto e o líder do PMDB é de treze a zero para Cunha. Ah sim, a Polícia Federal também decidiu investigar a suspeita de que funcionários da Petrobrás receberam propina de uma empresa holandesa. Que seja para valer.